expresso.ptexpresso.pt - 14 jan 17:37

Rebeldes do Iémen dizem que vão aumentar o uso de drones letais

Rebeldes do Iémen dizem que vão aumentar o uso de drones letais

O anúncio surge dias depois de um desses aparelhos, carregado de explosivos, matar seis pessoas numa parada militar
Dias depois de um drone com explosivos ter matado seis pessoas durante uma parada numa base militar em Lajah, uma província do Iémen, os rebeldes Houthi, que há anos mantêm uma insurreição contra o governo oficial e controlam boa parte do país, afirmaram expressamente a sua intenção de continuar a usar esse tipo de arma. Um porta-voz dos rebeldes descreveu este domingo o ataque como "uma operação legítima contra a agressão", e prometeu: "Em breve, haverá que chegue na pilha estratégica para lançar mais do que uma operação com drones em múltiplas frentes de batalha ao mesmo tempo". A guerra no Iémen tornou-se mais um episódio do conflito entre as duas grandes potências regionais do Médio Oriente. Enquanto o Irão, xiita, apoia os rebeldes, o governo é apoiado pela Arábia Saudita e os Emiratos Árabes Unidos, em coligação com vários países ocidentais. O efeito letal de drones no país data pelo menos de há 15 anos, quando o exército americano os utilizou contra a Al-Qaeda. Nos últimos anos, porém, tem-se intensificado muito, com o Irão a ser acusado, se não de fornecer os drones aos rebeldes, no mímino de fornecer os componentes a partir dos quais eles são fabricados. As outras partes também recorrem a drones - de fabricação chinesa, no caso do governo. Nos EUA, a participação militar é cada vez mais polémica, inclusivé no Congresso, à medida que aumenta a consciência sobre os custos humanos da guerra. Pelo menos 85 mil crianças terão morrido de fome.
5
1