desporto.sapo.ptdesporto.sapo.pt - 8 dez 22:27

Perfume de Jonas bastou no Bonfim

Perfume de Jonas bastou no Bonfim

Vitória arrancada a ferros pelo Benfica no Bonfim. Jonas marcou o único golo da partida.

O Benfica venceu, este sábado, o Vitória de Setúbal por 1-0, em partida da 12ª jornada da I Liga. Jonas marcou o único golo da partida num vitória muito suada das águias.

Foi tema de conversa na última semana. O reduzido tempo útil de jogo na liga portuguesa. O pior de entre 37 campeonatos, de acordo com estudo do CIES. Na liga portuguesa joga-se apenas 50,9% do tempo. A notícia foi comentada em catadupa pelos técnicos portugueses. Sérgio Conceição diz que todos são um poucos culpados por essa situação. Outros treinadores desvalorizaram. Esta crónica não começa com o ambiente, nem com as primeiras jogadas no Vitória - Benfica no Bonfim, mas sim com o número de faltas ocorridas na primeira parte: Foram 23!!! Praticamente uma a cada dois minutos, dá que pensar...

No pouco futebol jogado nos primeiros 45 minutos entre Benfica e Vitória de Setúbal salvaram-se um par de lances e claro o golo da autoria de 'pistolas' Jonas. Já se sabia que o Benfica poderia ter dificuldades no Bonfim frente à equipa de Lito Vidigal. As terras do Sado são terreno fértil para surpresas desagradáveis para os três grandes. Ainda no último jogo entre as duas equipas, no reduto dos sadinos, os encarnados tinham perdido dois pontos.

Em relação à partida da Taça da Liga a meio da semana, Rui Vitória chamou Gedson à titularidade e manteve Zivkovic no onze.

Depois de uns primeiros minutos atípicos, pode-se dizer que o Benfica assumiu o comando de jogo a partir do quarto de hora. Começou tudo num disparate de Cristiano que deu origem a um livre direto à entrada da área (11´). Jonas na conversão atirou contra a barreira. Era a primeira vez que o brasileiro farejava a baliza. Ao minuto 17, a classe do brasileiro veio ao de cima numa excelente finalização para o primeiro da partida. Grimaldo abriu o livro, deixou em Gedson que teve mira para acertar no pé do brasileiro. Jonas iria espalhar perfume ao longo do jogo.

O Vitória tentou reagir de forma tímida, da forma que melhor sabe, através do contragolpe. O poderio físico dos atacantes sadinos criava 'frisson', mas as tentativas de alvejar a baliza de Vlachodimos eram tímidas. Exemplo foi o remate de Berto ao lado (21´).

Pouco esclarecido na frente, o Vitória abria espaços lá atrás. Aos 30´, só a sorte impediu novo tento das águias. O ferro travou o pontapé forte de Zivkovic.

A primeira parte terminou da forma como começávamos este texto: com o jogo parado e com os jogadores engalfinhados.

Na segunda parte, o ritmo baixou mas (felizmente) o número de faltas também. O Benfica teve ocasião de 'matar' e como não o fez, colocou-se a jeito.

Rafa esteve por duas vezes próximo de descansar as águias. Ao minuto 58´, Jonas - foi outra vez ele - assistiu Rafa que com tudo, tentou picar a bola por cima de Cristiano, mas esta saiu por cima.

Ao minuto 68´, foi Cristiano a negar o golo ao jogador do Benfica. Com a ineficácia gritante do conjunto de Rui Vitória, os encarnados encostaram lá atrás e os donos da casa apertaram. Zequinha, ao minuto 84´, tentou a sorte, mas segurou Vlachodimos. Em cima do minuto 90, Cadiz - um dos melhores do Vitória - cabeceou após um cruzamento, mas a bola morreu na mãos do guardião do Benfica.

Vitória do Benfica arrancada a ferros. Os encarnados somaram a terceira vitória consecutiva.

8
1