desporto.sapo.ptdesporto.sapo.pt - 8 dez 10:00

Análise: Oito minutos demolidores levam 'dragões' à goleada depois do susto inicial

Análise: Oito minutos demolidores levam 'dragões' à goleada depois do susto inicial

FC Porto reforçou a liderança no campeonato ao vencer em casa o Portimonense por 4-1, depois de estar a perder....

O FC Porto alcançou ontem no encontro frente ao Portimonense o 11.º triunfo consecutivo em todas as competições ao golear os algarvios por 4-1, depois de ter estado a perder ainda antes dos dez minutos de jogo. As duas equipas apresentaram-se em campo com uma alteração relativamente aos 'onzes' utilizados na última jornada, com Soares, no FC Porto, a entrar no lugar de Herrera, enquanto no Portimonense, Vítor Tormena substituiu Ewerton, médio brasileiro contratualmente ligado aos 'azuis e brancos'. Jackson Martínez chegou a estar em dúvida por lesão, mas foi titular no regresso ao estádio do Dragão. O antigo jogador dos 'dragões' foi mesmo aplaudido de pé aquando da sua saída e foi parte ativa em vários ataques dos algarvios, cumprindo a vontade expressa pelo ex-técnico portista António Folha, na antevisão, de participar positivamente no jogo.

Os algarvios apresentaram-se num esquema de 4x5x1 e foram os primeiros adiantaram-se no marcador, por Vítor Tormena, aos nove minutos, mas os campeões nacionais empataram ainda na primeira parte, aos 23, por Marega, que voltaria a marcar, aos 64. Soares (57), e Brahimi (59) anotaram os restantes golos.

O Jogo: Oito minutos diabólicos acabaram com as esperanças do Portimonense

O FC Porto não começou o encontro como tem habituado os seus adeptos. A equipa esteve lenta nos processos numa fase inicial, e os muitos passes, pouco habituais, emperram a construção, possibilitando, depois, saídas rápidas dos algarvios.

Aproveitando esta apatia inicial dos campeões nacionais, os laterais Tormena e Manafá foram aventurando-se em subidas no terreno e, numa dessas incursões, aos nove minutos, Vítor Tormena saiu pela direita e concluiu a jogada já na área, de cabeça, num lance que envolveu os inevitáveis Jackson Martínez e Nakajima, autor da assistência para o primeiro golo do jogo.

O argelino Brahimi, um dos mais inconformados ao longo dos 90 minutos do encontro, assumiu a reação portista, emprestando mais velocidade e criatividade, e chegou mesmo a marcar pouco depois, aos 17 minutos, num lance que seria anulado porque Soares, adiantado, terá alegadamente prejudicado a reação do guarda-redes Ricardo Ferreira. Falhado o primeiro golo, o FC Porto empatou ainda no primeiro tempo pelo inevitável Marega.

O golo do maliano, aos 23 minutos, devolveu a equipa portista a um registo mais próximo do habitual, sobretudo em termos ofensivos. Mas a chave para a mudança completa chegou do banco portista, com a entrada de Herrera para o lugar do desinspirado Óliver, aos 41 minutos.

Com a entrada do internacional mexicano ainda no decorrer do primeiro tempo, o FC Porto ganhou a agressividade no meio campo que faltou na primeira meia hora do encontro, mas os resultados só chegaram no segundo tempo com oito minutos totalmente demolidores.

Bastaram apenas dois minutos para os 'azuis e brancos' desbloquearem um jogo que estava difícil: aos 57 minutos, Marega assistiu Soares para o segundo golo, na sequência de um lançamento longo, e, aos 59, foi Brahimi a marcar, após rápido contra-ataque.

Na resposta aos dois golos de rajada, Dener colocou Casillas à prova, mas estes 'tiros' dos dragões pesaram no ânimo dos algarvios, que ainda viram Marega 'bisar', aos 64 minutos, dando uma expressão ao resultado que, até final, podia ter sido ainda maior.

Momento do jogo: Dois golos em dois minutos 'partiram' o Portimonense

O jogo estava muito difícil e o FC Porto não conseguia desbloquear o empate que vinha da primeira parte, mas em dois minutos deu a volta ao marcador. Soares e Brahimi fizeram o segundo e o terceiro golo dos dragões, respetivamente, e acabaram com qualquer esperança do Portimonense em sair com pontos do Dragão. Com os dois golos de seguida, os 'azuis e brancos' colocaram um ponto final no encontro, tendo ainda tempo para marcar o quarto por Marega.

A figura: Marega

O avançado maliano bisou na partida e ainda teve tempo de fazer uma assistência. Continua a ser o goleador da equipa, mesmo quando teve de partilhar o ataque com Soares. O 'faro' para golo não falhou neste encontro e jogador de 27 anos alcançou os nove golos esta temporada.

Os melhores

Brahimi

Ficou desolado quando o Portimonense marcou o golo ainda antes dos 10 minutos de jogo, e liderou a reviravolta da equipa desde então. Teve frente um 'osso' chamado Tormena, mas nem isso o impediu de brindar os adeptos com alguns dribles quase mágicos. Num movimento típico seu, o argelino recebeu a bola na esquerda depois de um passe de Danilo Pereira e fugiu para o meio antes de rematar rasteiro para o fundo das redes de Ricardo Ferreira.

Danilo Pereira

Esteve um pouco abaixo das expetativas devido à má exibição de Óliver, mas no segundo tempo ressurgiu com outra cara e tornou-se o 'patrão' do meio campo dos portistas, impondo-se com e sem bola. Viu bem a desmarcação de Brahimi e assistiu o argelino para o terceiro tento dos campeões nacionais.

Nakajima

O japonês está perto de deixar de espalhar magia no campeonato português - o Wolverhampton deve levar o nipónico no mercado de janeiro. Deu muito trabalho ao mexicano Corona e esteve quase sempre bem a definir nos duelos de um para um. Assistiu Tormena para o único golo dos algarvios na partida.

Os piores

Óliver

Fraca prestação do médio espanhol. Foi substituído por Sérgio Conceição ainda na primeira parte, quando era o atleta com mais recuperações de bola. A sua saída foi inevitável numa altura em que o FC Porto apresentava pouco 'poder de fogo' na zona intermédia.

Reações:

Jadson e a goleada no Dragão: "Não é à toa que são líderes isolados do campeonato"

Danilo Pereira: "Corrigimos os erros ao intervalo e definimos o resultado"

Conceição: "Ao intervalo pedi mudança de atitude e foi o que aconteceu"

António Folha: "Podíamos ter feito melhor"

2
1