expresso.sapo.ptexpresso.sapo.pt - 8 dez 14:30

A nova estratégia do YouTube: conteúdos originais deixam de ser pagos mas passam a ter publicidade

A nova estratégia do YouTube: conteúdos originais deixam de ser pagos mas passam a ter publicidade

Cultura

Os originais YouTube vão passar a estar disponíveis à borla, a partir do ano que vem. O espectador deixará de ter de pagar a subscrição mensal mas, em contrapartida, terá de assistir aos anúncios publicitários. A plataforma de vídeo propriedade da Google entendeu mudar de estratégia face aos concorrentes, eventualmente antecipar-se às já aventadas hipóteses de outras plataformas virem a introduzir ‘spots’ comerciais nalguns dos conteúdos que disponibilizam.

Os investimentos do YouTube na encomenda de produções originais passam, portanto, a concorrer com os operadores de televisão linear aberta, o que em mercados de maior dimensão como os da América do Norte significa aproveitar uma oportunidade de monetização surgida sobretudo no último par de anos pelo facto de os anunciantes estarem a perder capacidade de alcançar os espectadores, especialmente os mais jovens; estes têm vindo a mudar aceleradamente os seus hábitos, deixando de ver televisão tradicional e passando a escolher “à la carte” por entre a cada vez mais diversificada oferta de SVoD (Subscription Video on Demand) como a Netflix, a Amazon Prime Video e muitos outros, sempre a somar.

De acordo com a “Variety”, a mudança de estratégia do YouTube quanto à forma de distribuição vai ocorrer em simultâneo com o redirecionamento do foco quanto ao género dos conteúdos originais a produzir doravante, a que o YouTube pretende dar mais glamour e maior popularidade, designadamente pelo envolvimento de celebridades de escala superior. A opção premium de ver os conteúdos originais sem publicidade agregada não deixará de existir, mediante a continuação do pagamento de subscrição, mas a exclusividade – passado o período de acesso antecipado –, “vai para o espaço”. No curto prazo, e na fase de transição, algumas webséries manter-se-ão como até aqui em regime SVoD. É o caso da segunda temporada de Cobra Kai (imagem em baixo) , inspirada na trilogia Karate Kid estreada em 1984, cujos trailers promocionais já são difundidos apesar de não ter sido anunciada a data de lançamento

d.r.

A partir de 2020, é intenção da plataforma ter todos os filmes e séries ‘Originals’ acessíveis gratuitamente a todos os utilizadores – o YouTube contabiliza dois mil milhões de utilizadores registados em todo o mundo. Apesar de investir bastante menos nas produções originais do que a Netflix, a Amazon ou a Hulu, o YouTube tem vindo a fazer-se valer de um ativo que releva como importante até aqui na captação de subscritores: os criadores nados e criados na própria plataforma de vídeo, alguns dos “youtubers” mais populares que passaram a ter as suas próprias webséries desenvolvidas e integradas no serviço pago.

Com esta mudança de estratégia, estas webséries com perfis de audiência muito detalhados e conhecidos passam a estar disponíveis ao investimento publicitário dos anunciantes.

2
1