observador.ptobservador.pt - 10 nov 19:23

Francisco Louçã citou Toy Story e colocou as ambições do Bloco no “infinito e mais além”

Francisco Louçã citou Toy Story e colocou as ambições do Bloco no “infinito e mais além”

Foi um discurso curto, mas cheio de mensagens políticas. Francisco Louçã alertou para as fake news, elogiou os esforços de Bloco e ainda citou o filme Toy Story. No fim, foi aplaudido de pé.

O histórico bloquista anda há muitos anos pela política. Pelas convenções tem andado desde que o Bloco de Esquerda se constituiu como partido. Este sábado, quando Francisco Louçã falou na XI Convenção, jogava em casa e com o público do seu lado. Sabia-o e aproveitou o momento para agarrar a plateia desde o primeiro minuto, levantando-a no fim, depois de um discurso rico em recados políticos.

[Veja no vídeo o fim do discurso de Francisco Louçã]

As fake news foram o tópico escolhido para dar início à intervenção. “A mentira é hoje uma indústria que garante o domínio da política suja”, afirmou. Uma estratégia que diz estar a ser utilizada pelos líderes de extrema-direita por todo o mundo, com uma “clientela” clara. “Os rufias tomaram conta da direita”, declarou.

E se começou de forma dura a alertar para os perigos das fake news, mais duro se tornou o tom com o avançar da intervenção. “Se alguém pensa que a democracia ainda é a escolha ponderada entre alternativas que ainda conversam, desengane-se: a política suja está por todo o lado”. Um aviso que veio com uma solução. “Vencemos o medo com segurança. O Bloco é a segurança do cumprimento dos compromissos”, acrescentou.

Os perigos populistas estão aí e o Bloco está atento e pronto para apresentar soluções para os combater. A garantia é de Francisco Louçã, que rapidamente começou a recordar os feitos alcançados pelo partido que fundou. “Há mais de 20 anos que quem trabalha não podia dizer ‘ganhámos’. Nós cumprimos e ganhámos”. Um exercício de memória que tinha como objetivo apresentar o BE como o porto seguro. Nas entrelinhas, deixou uma indireta para o PS: “O Bloco é a segurança de quem não volta com a palavra atrás”.

Mas o momento mais criativo do discurso estava reservado para a reta final. E foi dirigido diretamente à sua sucessora na liderança do partido. “Sabes, Catarina? Há dias via o Toy Story com as minhas netas e uma personagem perguntava para onde vai e diziam-lhe que era até ao infinito e mais além. Eu sei que este Bloco é mais humilde. Sabemos para onde vamos. E a tua força, a nossa força, é que também sabemos de onde vimos: é da Helena Lopes da Silva, de Miguel Portas, de João Semedo e de tantos outros”, concluiu.

Terminou com uma referência às figuras históricas que já morreram e que marcaram o passado partido. Um apelo direto ao coração dos bloquistas na sala que, automaticamente, começaram a bater palmas de pé, enquanto Francisco Louçã descia triunfante o palco de mais uma convenção.

7
1