www.cmjornal.ptCarlos Moedas - 9 nov 00:40

Uma Web Summit diferente

Uma Web Summit diferente

O criador da internet, Tim Berners-Lee, trouxe-nos uma mensagem clara. A internet mudou a nossa vida mas trouxe riscos. - Carlos Moedas, Correio da Manhã.
Foi bom voltar à Web Summit e partilhar com tantos empreendedores uma visão para o futuro da Europa. Nos anos anteriores falámos sobre como desenvolver ideias para criar empresas e criar riqueza, e esse é e será sempre o tema central deste evento. Mas desta vez a preocupação foi outra.
O criador da internet, Tim Berners-Lee, trouxe-nos uma mensagem clara. A internet mudou a nossa vida para melhor, mas também nos trouxe grandes riscos, em particular para a nossa democracia, para a nossa privacidade e para a nossa saúde.

A internet veio pôr em causa o funcionamento da nossa democracia através de plataformas que não garantem a veracidade dos factos e que se tornaram veículos de entretenimento. Se há alguns anos a distinção entre imprensa e entretenimento deixava poucas dúvidas, hoje a internet baralhou de tal forma o jogo que muitos milhões de pessoas se informam – e tomam decisões – com base em pseudonotícias.

Além disso, pela primeira vez na nossa história democrática, sentimos que podemos ser controlados na nossa vida diária. E estamos cada vez mais dependentes da internet, especialmente as gerações mais jovens. Portugal, e outras democracias europeias, venceram regimes ditatoriais em que o Estado pretendia controlar os indivíduos. Mas a internet veio a possibilitar formas de controlo das nossas vidas e da nossa privacidade que numa sociedade democrática terão de ser reguladas.

A ideia de Tim Berners-Lee é clara: só uma aliança entre as empresas, os governos e os cidadãos pode limitar estes riscos e garantir uma internet que respeite os nossos princípios democráticos. Esta mensagem é muito diferente daquelas que ouvimos nos anos anteriores, em que os empreendedores resistiam à ideia de que a internet pudesse ter efeitos negativos, ou pelo menos preferiam ignorá-los.

Esta mensagem é importante por duas razões. Primeiro porque os governos, por si só, nunca conseguirão resolver o problema. As empresas têm de se comprometer com os valores fundamentais da privacidade e da dignidade humana, e as pessoas têm de exigir às empresas que respeitem esses valores, e aos governos que os salvaguardem. Segundo, porque como diz a sabedoria popular, o primeiro passo para a cura é admitirmos a doença.

Aquilo que vi nesta Web Summit foi uma comunidade de empreendedores que apostam no futuro, mas que percebem que esse futuro tem de garantir que a internet seja um instrumento para o bem da nossa sociedade.

De Helsínquia para Lisboa
Esta semana participei no congresso do Partido Popular Europeu em Helsínquia e gostava de vos deixar três notas:

1 - Helsínquia é uma cidade onde a partir das 15h00 já tudo está iluminado por uma luz acolhedora e tamisada que nos faz procurar o primeiro café para aquecer as mãos e a alma. Assim que entrei num, qual não foi o meu espanto quando na TV já debatiam dois candidatos às eleições europeias.

2 - O PPE é o maior partido europeu e aí vemos desfilar os grandes líderes dos partidos de centro-direita da Europa. Uns de que gostamos mais, outros de que gostamos menos. Gostei de ver Rui Rio a discursar em alemão mostrando que domina uma língua tão difícil, com mensagens claras sobre um PSD aberto e virado para o futuro. Gostei de ver Merkel aplaudida por tudo o que fez pela Europa.

3 - Saiu vencedor do Congresso Manfred Weber, que até hoje foi líder parlamentar do PPE no Parlamento Europeu. Um candidato sólido que se revelou como um grande tribuno, falando de uma Europa que não deve ter medo de afirmar os seus valores. Pessoalmente tenho uma ligação de amizade com o candidato vencido, antigo primeiro-ministro da Finlândia e que é um dos homens de maior inteligência e qualidade humana que conheço.

A Europa solidária com a Itália
A Itália sofreu grandes inundações que afetaram muitas partes do país, em particular as regiões da Sicília e do Veneto, com a lamentável perda de vidas humanas. A Comissão Europeia tem estado a apoiar, nomeadamente com o serviço de cartografia por satélite Copernicus.

A morte de Kateryna Handzyuk
A ativista ucraniana morreu agora, após um terrível ataque com ácido em julho. Apesar de gravemente ferida, ainda denunciou do leito do hospital inúmeros outros casos de ataques e mortes por investigar. Kateryna pagou com a vida as insuficiências do Estado de Direito na Ucrânia.

190
milhões de euros é o montante de dois fundos de investimento que lancei na Web Summit, em conjunto com o Fundo Europeu de Investimento. Este financiamento destina-se às pequenas e médias empresas portuguesas com projetos inovadores de elevado valor acrescentado e para empresas sociais.

Uma Europa que...
Protege contra produtos químicos perigosos

A Comissão Europeia aprovou esta semana uma estratégia que visa minimizar a exposição das pessoas e do ambiente aos ‘desreguladores endócrinos’, substâncias que perturbam o sistema hormonal.
2
1