www.jornaldenegocios.ptjornaldenegocios.pt - 13 out 14:00

Mulher de banqueiro gasta 16 milhões de libras no Harrods e fica na mira das autoridades

Mulher de banqueiro gasta 16 milhões de libras no Harrods e fica na mira das autoridades

Um frondoso clube de golfe nos arredores de Londres e uma casa a poucos passos da luxuosa loja Harrods pertencem à esposa de um banqueiro preso, devido a um escândalo de corrupção no Azerbaijão que se disseminou até chegar a um tribunal do Reino Unido.

Um juiz de Londres suspendeu uma ordem que protegia a identidade de Zamira Hajiyeva, a esposa do responsável de um banco do Azerbaijão que foi condenado, argumentando que o interesse público na justiça supera o risco potencial que Zamira Hajiyeva enfrentava perante as autoridades do seu país natal. O pedido de anonimato também mantinha em sigilo as duas propriedades, avaliadas em 22 milhões de libras (25 milhões de euros).             

A publicação da identidade de Hajiyeva mostra que os promotores do Reino Unido estão a tentar fiscalizar estrangeiros com ligações políticas envolvidos em casos de corrupção nos seus países de origem que investem milhões em Londres. As propriedades de Hajiyeva são os primeiros alvos de uma lei que coloca sobre os detentores dos activos o ónus de provar que a sua riqueza é legítima.

A Agência Nacional de Combate ao Crime do Reino Unido (NCA, na sigla em inglês) conseguiu em Fevereiro a primeira "ordem de riqueza inexplicada" da história do país, uma ferramenta que congela a propriedade quando o proprietário não consegue identificar uma fonte legítima para os recursos usados para comprá-la. Os investigadores esperam que esta nova ferramenta amplie as suas forças ao inverter o ónus da prova.

"Nos casos em que não for possível determinar uma fonte legítima para os recursos usados para a compra de activos e propriedades nobres, é absolutamente correcto que façamos interrogatórios para descobrir a sua origem", afirmou o director de combate a crimes económicos da NCA, Donald Toon, em comunicado. "As ordens de riqueza inexplicadas têm o potencial de reduzir significativamente a atractividade do Reino Unido como destino para rendas ilícitas."

O marido de Hajiyeva, que foi descrito pelas autoridades britânicas como um "banqueiro comercial, um peixe gordo", é Jahangir Hajiyev. O responsável cumpre uma pena de 15 anos de prisão no Azerbaijão após condenação por usar o cargo de presidente do Banco Internacional do Azerbaijão para cometer fraudes.

Os advogados de Hajiyeva tinham argumentado que revelar a sua identidade a exporia a uma possível investigação por parte das autoridades no Azerbaijão. Ela ainda está a tentar recorrer para cancelar a ordem de riqueza.

A ordem de riqueza da NCA "não deve ser encarada como se implicasse qualquer delito, seja de parte dela ou do marido", afirmou o advogado de Hajiyeva, Thomas Garner, por e-mail. "O argumento da NCA é que a ordem faz parte de um processo de investigação, e não de um processo criminal, e não envolve a descoberta de qualquer infracção penal."

A casa de Hajiyeva em Londres fica a um minuto a pé da Harrods, onde gastou 16 milhões de libras numa década, às vezes gastando dezenas de milhares de libras por semana, segundo os promotores. Entre as propriedades de Hajiyeva no Reino Unido estão o Mill Ride Golf & Country Club, de 68,8 hectares, em Ascot, e uma casa na área de Knightsbridge, na capital.

(Texto original: ‘Fat Cat’ Banker’s Wife Who Spent 16 Million Pounds in Harrods Is Unmasked)

1
1