sol.sapo.ptsol.sapo.pt - 13 out 20:50

Dezenas de pessoas protestam contra dragagens do Sado

Dezenas de pessoas protestam contra dragagens do Sado

Manifestantes explicam que as dragagem vão mexer com o ecossistema do estuário.

Uma manifestação contra dragagens no estuário do Sado levou a mais de 500 pessoas a protestaram hoje, em Setúbal.

O presidente da associação Zero, Francisco Ferreira, afirmou que o estuário do Sado "é um ecossistema único que não está vocacionado para um porto de águas profundas", em declarações aos jornalistas.

"Isto é um atentado ao rio Sado. Os golfinhos vão desaparecer, a retirada da areia do fundo do mar vai fazer desaparecer a flora e o rio vai morrer, porque vão retirar o alimento aos golfinhos e aos peixes", afirmou Rui Venâncio, um setubalense que reside em Aljustrel, à agência Lusa.

Os manifestantes explicam que as dragagem vão mexer com o ecossistema do estuário e que os protestos é uma forma de todos os setubalenses demonstrarem a sua solidariedade.

Francisco Ferreira apelou ainda à ministra do Mar para que recue neste processo, dando como exemplo o que fez relativamente à localização do terminal de contentores do Barreiro.

Mediante os impactes ambientais, o presidente do Núcleo Regional da Quercus de Setúbal, Paulo do Carmo, disse que o turismo pode vir a sofrer com as dragagens no estuário do Sado.

"Tem-se apostado tanto no turismo, que não faz sentido fazer uma obra desta dimensão naquela que é considerada uma das mais belas baías do mundo. Estamos a apostar cada vez em Troia, há uma aposta forte dos investidores no turismo. Esperamos que a ministra do Mar e a presidente da APSS reflitam e discutam com as associações", salientou o dirigente da Quercus.

3
1