expresso.sapo.ptexpresso.sapo.pt - 16 set 09:15

António Costa: "Vamos relançar a nossa cooperação estratégica com Angola"

António Costa: "Vamos relançar a nossa cooperação estratégica com Angola"

Um dia antes de aterrar em Luanda, António Costa deu uma entrevista ao "Diário de Notícias" defendeu que a relação com Angola deve ser mais do que económica

Na véspera da viagem a Luanda, António Costa deu uma entrevista ao "Diário de Notícias" na qual revela um retomar da normalização das relações entre os dois países. E deixa claro que Angola é importante para Portugal.

"Nesta viagem vamos relançar a nossa cooperação estratégica. Vai ser todo um novo programa estratégico de cooperação, que vai assentar nas áreas tradicionais, como a saúde, como a educação - onde a língua tem um papel fundamental. Esta viagem vai abrir novas áreas - no domínio da soberania, da cooperação técnico-militar, da cooperação técnico-policial e da cooperação tributária, mas a língua é sempre uma mais-valia", diz o primeiro-ministro na entrevista.

António Costa acredita que Angola será "uma das grandes potências económicas em África durante este século", e que isso também será importante para Portugal. "É muito importante a influência política crescente de Angola, não só no continente como no mundo, porque isso reforça toda a presença política do espaço da CPLP", frisa.

Sem tocar no caso de Manuel Vicente - ex- vice-Presidente de Angola investigado em Portugal por corrupção activa - o líder do Executivo desvenda algumas das decisões que poderm surgir desta viagem. "Vamos ter, seguramente, um avanço do novo acordo estratégico de cooperação. Vamos assinar acordos muito importantes para as parcerias económicas, como o acordo para evitar a dupla tributação, o que é essencial para facilitar os investimentos angolanos em Portugal e dos portugueses em Angola. E vamos alargar as linhas de crédito a Angola e, seguramente, também ter avanços nas questões relativas ao pagamento de dívidas, que se acumularam."

O primeiro-ministro defende ainda que a relação com Angola deve ser mais do que económica, apesar da importância que tem como mercado de emprego e de exportações. "Nós com Angola vivemos muitos anos, os portugueses têm uma paixão especial por Angola. E essa paixão, muitas vezes, levou a que se confundisse aquilo que é essencial: uma relação Estado a Estado, governo a governo. Com debates, cá e lá, sobre as políticas internas de cada um dos países. Nós temos de ter com Angola, como temos com todos os outros países de expressão lusófona, uma relação fundamental que é: nós somos amigos do povo, do país e do governo que está em funções em cada momento..."

1
1