expresso.sapo.ptexpresso.sapo.pt - 16 set 11:00

Há menos enfermeiros a emigrar, mas 15 mil continuam fora

Há menos enfermeiros a emigrar, mas 15 mil continuam fora

Apesar da redução, a bastonária da Ordem dos Enfermeiros, Ana Rita Cavaco, considera que ainda há muitos pedidos para sair do país. 15 mil enfermeiros continuam emigrados

O número de enfermeiros a querer emigrar diminiu para menos de metade, mas continua a haver um número significativo de profissionais lá fora, avança este domingo o "Jornal de Notícias".

O jornal sustenta a informação com a quebra nas declarações que certificam a habilitação para exercer no estrangeiro e que são emitidas pela Ordem dos Enfermeiros (OE).

Entre 2015 e 2017, estas declarações diminuíram 52,6%, passando de 2717 para 1286. Também os números do Instituto do Emprego e Formação Profissional dizem que, entre maio de 2016 e 2017, os enfermeiros no desemprego baixaram 34,8% (de 696 para 454).

Mesmo assim, a bastonária da OE, Ana Rita Cavaco, considera que os pedidos de certificação ainda são elevados. Nos dois primeiros meses de 2018, 208 profissionais apresentaram o requerimento. Há ainda 15 mil enfermeiros emigrados.

Ana Rita Cavaco justifica a contração na emigração com as contratações feitas após a saída troika e com uma retração em países como o Reino Unido, um dos principais destinos dos enfermeiros portugueses.

Em Portugal, o descontentamento da classe não baixa de intensidade, com os enfermeiros a ameaçarem agora com um protesto inédito no Serviço Nacional de Saúde (SNS): uma medida de abandono. A ausência ao trabalho em centros de saúde e hospitais está planeada para o próximo dia 25, como tivemos oportunidade de avançar.

1
1