www.dinheirovivo.ptManuel Falcão - 16 set 12:08

Notícias do país real

Notícias do país real

Muitas vezes há opiniões sobre os hábitos de consumo de informação e de conteúdos que se baseiam em opiniões subjetivas e não em dados reais.

O pior que pode acontecer a quem trabalha em planeamento de publicidade é encontrar alguém que cita como focus group a sua própria família, extrapolando desse núcleo para todo o universo de consumidores. Com dados subjetivos é impossível conseguir encontrar os melhores pontos de contacto de uma marca com as pessoas. O research de hábitos e tendências dos consumidores é baseado em estudos reconhecidos e pormenorizados, não é um palpite. Conseguir definir como ao longo do dia uma pessoa consome informação e conteúdos é possível – assim como é possível segmentar esses consumos por classes sociais, por grupos etários ou por localização dentro do país. Por isso, aqui deixo hoje alguns dados recentes extraídos de diversos estudos setoriais efetuados pela Marktest.

1 – Pela primeira vez a utilização da internet via telemóvel (57,9%) ultrapassou a utilização por PC (55,2%), confirmando a tendência de aumento de quota dos utilizadores destes dispositivos. Os dados do Bareme Internet mostram ainda que 19,1% dos portugueses usam a internet através do tablet, 9,3% pela TV e 5,8% pela consola de jogos. Estes valores evidenciam um maior crescimento em termos absolutos no telemóvel, seguido da TV e da consola, em detrimento do PC e do tablet.

2 – Em julho de 2018 contabilizavam-se 3313 mil lares com TV paga, o que corresponde a 81,9% dos lares portugueses. Se analisarmos os dados de penetração deste serviço desde 2006, verifica-se que cresceram de 46,4% nesse ano para os atuais 81,9%. Constata-se também que tem vindo a aumentar número de lares cujo acesso a TV paga se faz através de fibra ótica. Mais de 40% dos espectadores preferem os canais de TV paga aos generalistas e a CMTV é o que regista maior audiência nos canais de cabo. O visionamento de plataformas de streaming, como a Netflix, tem também estado a crescer ao longo do ano e muitas vezes o consumo combinado de TV paga e de streaming ultrapassa o total obtido pelos quatro canais generalistas – RTP 1, RTP 2, SIC e TVI.

3 – O segmento demográfico que tem maior afinidade com a imprensa é constituído por homens entre os 25 e os 34 anos, quadros médios e superiores e os indivíduos das classes mais elevadas. Atualmente, em termos globais, a audiência média de imprensa situa-se nos 51% – percentagem de portugueses que leram ou folhearam a última edição de um qualquer título de imprensa estudado, num total de 4366 mil indivíduos. Os jornais registaram 2,7 milhões de leitores neste período, enquanto as revistas contaram com 3,2 milhões de leitores, valores que correspondem a uma audiência média de, respetivamente, 31% e 36,9%.

4 – Um milhão e 448 mil é o número de residentes no continente com 15 e mais anos que afirmam ouvir rádio pela internet, um número que representa 16,9% do universo em análise. Os indivíduos entre os 25 e os 34 anos são os que possuem maior afinidade com este hábito, comum a 30,5% deles. Nos quadros médios e superiores a penetração deste hábito de ouvir rádio pela internet é de 36,4 % e são os residentes na Grande Lisboa os que mais ouvem rádio pela internet, com uma taxa de penetração de 20%.

1
1