www.jn.ptjn.pt - 16 set 09:50

António Oliveira no programa ″Trio d'Ataque″

António Oliveira no programa ″Trio d'Ataque″

António Oliveira vai assumir a função de comentador afeto ao F. C. Porto no programa de futebol "Trio d'Ataque", transmitido todos os domingos, às 22 horas, na RTP3.

O ex-selecionador nacional foi convidado para ocupar a vaga deixada por Miguel Guedes, que hoje se despede do canal público para integrar um projeto na TVI, e vai estrear-se já no próximo fim de semana, apurou o JN junto de fonte conhecedora do processo.

Após várias participações no "Trio d"Ataque", de forma esporádica e sem o estatuto de comentador residente, António Oliveira aceitou o convite para ser a voz dos adeptos do F. C. Porto durante as emissões. O ex-futebolista e ex-treinador dos dragões, que também já comandou a seleção portuguesa, é um conhecedor profundo da realidade do emblema azul e branco e vai partilhar o estúdio com Nuno Gonçalves, simpatizante do Sporting, e João Gobern, que defende as cores do Benfica.

Esta não é uma experiência televisiva completamente nova para António Oliveira, que já exerceu a função de comentador residente afeto ao F. C. Porto no programa "Play-off", da SIC Notícias. Agora reforça o painel moderado pelo jornalista Hugo Gilberto e para participar num programa que se tornou numa referência do género desportivo, pois existe desde 2004 e é o líder de audiências dos canais informativos.

Antes de Miguel Guedes assumir a pasta como comentador afeto ao F. C. Porto, coube a Rui Moreira, atual presidente da Câmara Municipal do Porto, exercer essa a função que será confiada, a partir do próximo fim de semana, a António Oliveira. Hoje, no final do programa, Hugo Gilberto vai oficializar a contratação do ex-selecionador nacional, que irá endereçar uma mensagem. O JN contactou António Oliveira, mas não obteve resposta.

O craque que se tornou treinador de referência

Natural de Penafiel, António Oliveira, de 66 anos, foi um dos melhores futebolistas portugueses da década de 1970 e 1980, tendo sido um dos mais influentes na temporada em que o F. C. Porto acabou com o jejum de 19 anos sem ser campeão. Além dos dragões, representou os espanhóis do Bétis, o Penafiel, o Sporting e o Marítimo. Como selecionador nacional, comandou a equipa das quinas no Campeonato da Europa de 1996 e no Mundial de 2002. Pelo meio, foi tri e tetracampeão como treinador do F. C. Porto. Mais tarde, assumiu a presidência do Penafiel e concretizou o objetivo de colocar o clube a competir entre os grandes do futebol nacional, acabando, mais tarde, por deixar a liderança do clube.

1
1