expresso.sapo.ptexpresso.sapo.pt - 16 set 12:28

Tufão Manghkut deixa pelo menos 49 mortos e 40 desaparecidos nas Filipinas

Tufão Manghkut deixa pelo menos 49 mortos e 40 desaparecidos nas Filipinas

O tufão Mangkhut tocou este domingo terra no sul da China, depois de uma passagem devastadora pelas Filipinas onde fez pelo menos 49 mortos e soterrou cerca de 40 mineiros, que estão desaparecidos

O tufão Mangkhut tocou hoje terra no sul da China, depois de uma passagem devastadora pelas Filipinas onde fez pelo menos 49 mortos e soterrou cerca de 40 mineiros, que estão desaparecidos.

A tempestade tropical, considerada a mais forte deste ano, provocou chuvas torrenciais e ventos ciclónicos que fizeram colapsar a encosta de uma montanha na aldeia remota de Itogon, na província de Benguet (norte).

A terra que se desprendeu abateu-se sobre os alojamentos dos mineiros. Segundo a polícia, sete corpos já foram retirados, mas há pelo menos 40 pessoas desaparecidas.

Vários pontos do arquipélago filipino foram devastados pelo tufão e o balanço provisório de vítimas no país é de 49 mortos, segundo a polícia.
A maioria dos mortos foram vítimas de deslizamentos de terra nas zonas montanhosas, de acordo com as autoridades.

No norte das Filipinas, eletricidade e comunicações foram cortados na maior parte da zona abrangida pela trajetória do tufão, onde vivem cerca de 5 milhões de pessoas, criando dificuldades adicionais na contabilização de vítimas e estragos.

No norte da ilha de Luçon, a maior das Filipinas, o tufão devastou vastas zonas agrícolas provocando inundações e deslizamentos de terra. Na cidade de Baggao, a tempestade arrancou telhados e linhas de alta tensão e as estradas estão quase todas cortadas, por inundações ou por deslizamentos de terras.

O tufão perdeu alguma força ao atravessar as Filipinas e chegou ao território chinês hoje, às 17:00 locais (10:00 em Lisboa), na província de Guangdong, a cerca de 50 Km a oeste de Macau, com ventos de 162 Km/h, tendo obrigado à evacuação de quase meio milhão de pessoas.

Centrais nucleares preocupam

Com o tufão a aproximar-se da costa chinesa, uma das preocupações está localizada também em Guangdong, já que duas centrais nucleares estão na trajetória projetada do Mangkhut.

Contudo, a central Nuclear de Taishan e a Central Nuclear de Yangjiang, ambas naquela província, informaram estarem preparadas para enfrentar o tufão, noticiou hoje o South China Morning Post (SCMP).

A central de Taishan deu nota, numa publicação na rede social WeChat (o Facebook chinês), que as autoridades discutiram a melhor forma de lidar com a tempestade que se aproximava e que trabalhadores especializados conduziram investigações de segurança.

Na última conferência de imprensa, as autoridades de Macau disseram ter criado um mecanismo de troca de informações sobre a situação nas centrais com as autoridades de Guangdong.

Centenas de voos foram cancelados e todos os serviços ferroviários de alta velocidade e alguns normais nas províncias de Guangdong e Hainan também foram interrompidos no domingo, informou a China Railway Guangzhou Group Co..

Na província de Fujian, dezenas de milhares de barcos de pesca regressaram ao porto e as obras de construção pararam.
A cidade de Shenzhen também cancelou todos os voos entre domingo e segunda-feira de manhã.

A Hainan Airlines cancelou 234 voos nas cidades de Haikou, Sanya, Guangzhou, Shenzhen e Zhuhai, programados para este fim de semana.
Já em Hong Kong, perto de 900 voos foram adiados ou cancelados. De acordo com o South China Morning Post, pelo menos 543 voos programados para hoje foram cancelados, afetando cerca de 96 mil passageiros.

No total, as autoridades do aeroporto internacional de Hong Kong dão conta de 889 voos adiados ou cancelados devido à proximidade deste tufão, considerado o maior do ano, indicou o mesmo jornal.

Em Macau, 160 voos foram cancelados e 14 tiveram de ser adiados, segundo as últimas informações do aeroporto. O Observatório de Hong Kong e os Serviços Meteorológicos de Macau (SMG) emitiram hoje o sinal 10 de tempestade tropical, o máximo no nível de alerta, ambos prevendo fortes chuvas, inundações e rajadas de vento nas próximas horas.

Em Macau, o alerta vermelho de "storm surge" (maré de tempestade) continua em vigor e a subida do nível da água pode atingir os 2,5 metros, indicaram os SMG.

Perto de seis mil pessoas já foram retiradas das suas casas, no seguimento do plano de evacuação das zonas baixas da cidade, efetuado a partir das 21:00 de sábado.

1
1