www.jornaleconomico.sapo.ptjornaleconomico.sapo.pt - 12 ago 19:00

Grandes ‘players’ recebem 90% dos apoios da Google aos media

Grandes ‘players’ recebem 90% dos apoios da Google aos media

Maioria do financiamento da Google a meios de comunicação vai para os grandes grupos. João Palmeiro, um dos júris do fundo, nega que haja favorecimento.

Cerca de 90% do financiamento atribuído pelo fundo de inovação Digital News Initiative (DNI), da  Google News, a projetos de jornalismo na era digital são atribuídos aos grandes grupos de media. A Impresa foi, até esta quinta ronda de financiamento, um dos grupos de media que mais dinheiro recebeu deste fundo, tendo isoladamente auferido de mais de 15% dos 7,187 milhões de euros atribuídos a projetos portugueses.

Desde outubro de 2015, altura em que foi lançado o DNI, o grupo Impresa já recebeu pelo menos 1,083 milhões de euros de apoio da Google a projetos jornalísticos que combinam tecnologia e inovação. Deste montante, excluem-se os dados da primeira ronda de financiamento que não foram divulgados ao público e os dados da última ronda, cujos vencedores foram anunciados esta semana e cujos montantes individuais são ainda desconhecidos. Na lista de grandes grupos que mais beneficiaram das ajudas da Google, encontram-se também a Sonaecom (Público), que recebeu pelo menos 890 mil euros até agora, e a Cofina, com 350 mil euros de financiamento.

O presidente da Associação Portuguesa de Imprensa, João Palmeiro, que integra o conselho que procede à escolha das propostas a aprovar, nega que haja qualquer tipo de favorecimento dos grandes grupos na corrida a este fundo da Google. “A seleção é feita por um grupo de peritos que analisa cada uma das candidaturas recebidas, consoante uma lista de critérios previamente definidos. É dada prioridade a projetos inovadores, que contribuam para a qualidade da produção jornalística e que obedeçam ao critério de exequibilidade”, explica João Palmeiro.

Nesta quinta ronda do fundo de inovação, foram escolhidas as candidaturas dos grandes players Cofina, Media Capital e o Observador e outros dois meios de menor dimensão (o Diário de Notícias da Madeira e a startup The Mosted) para receber um total de 1,418 milhões de euros.

Os valores que vão ser atribuídos a cada um dos projetos ainda não foram revelados. Por enquanto, sabe-se apenas que o total de financiamento atribuído a Portugal, nesta que é a quinta ronda do fundo, é superior em 349 mil euros ao da ronda anterior. A Media Capital, Observador e Cofina foram selecionados na categoria “Grandes Projetos”, em que o financiamento pode chegar a um milhão de euros. Houve ainda outras duas candidaturas selecionadas: a do Diário de Notícias da Madeira, na categoria “Médios Projetos”, e a da startup The Mosted, na categoria “Protótipos” (projetos num estado inicial que requerem até 50.000 euros de financiamento).

“Dentro dos projetos apresentados, estes foram os que melhor reuniram as condições exigidas pelo fundo”, indica o presidente da Associação Portuguesa de Imprensa. “O montante que será atribuído a cada um deles deverá ser definido em breve, tendo em conta que os projetos vão passar ainda por um período de ajustamento ao montante disponível”, acrescenta.

Em comunicado, a Google indica que “os assistentes áudio, machine learning e subscrições foram as principais tendências nesta ronda” de financiamento da DNI. Os projetos escolhidos em Portugal incluem o desenvolvimento de sistemas para melhorar a qualidade dos vídeos em direto (uma proposta da Media Capital), a criação de novas formas de produzir conteúdo aúdio para diferentes plataformas (Observador), a construção de aplicações de conversação em tempo real com os consumidores em aúdio (Cofina), o lançamento de uma plataforma de viagens local para os turistas experimentarem destinos com um habitante local em Portugal (Diário de Notícias da Madeira) e a atribuição aos jornalistas do conhecimento e know-how sobre como e sobre o que escrever (The Mosted).

1
1