expresso.sapo.ptexpresso.sapo.pt - 12 ago 09:00

Com a casa às costas

Com a casa às costas

Quem é que nunca teve vontade de passar umas férias sobre rodas?

Acordar, espreitar pela janela e estar em cima do mar. Ou acordar, abrir a porta, inspirar bem fundo o oxig��nio mais puro e ir dormir a outro lado sem pensar muito no assunto. Há, de alguns anos para cá, uma nova forma de fazer turismo: o autocaravanismo.

Em Portugal é difícil conhecer o número exato de autocaravanistas, uma vez que é dos países europeus onde não há apuramento estatístico no número de veículos do género vendidos. Em 2014, num documento da Associação Autocaravanista de Portugal — Clube Português de Autocaravanismo (CPA), estimava-se que a prática de autocaravanismo tivesse um crescimento de 20% ao ano, existindo, na mesma altura, cerca de 2 milhões de autocaravanas a circular na Europa. Só em Espanha calculava-se um valor de 450 mil veículos a entrar no país.

No mesmo documento pode ler-se a definição básica de autocaravanismo. “Não é uma espécie de turismo de indigentes, até pelo seu custo, mas sim uma filosofia de vida que não se restringe ao campismo.”

A compra de uma autocaravana pode ser demasiado dispendiosa para quem apenas quer ter a experiência de passar umas férias, pelo que há novas soluções de aluguer através de plataformas especializadas. A última a surgir em Portugal foi a Yescapa, considerada o Airbnb das autocaravanas

A compra de uma autocaravana pode ser demasiado dispendiosa para quem apenas quer ter a experiência de passar umas férias, pelo que há novas soluções de aluguer através de plataformas especializadas. A última a surgir em Portugal foi a Yescapa, considerada o Airbnb das autocaravanas

getty

Segundo Paulo Moz Barbosa, presidente da direção da CPA, “o investimento inicial pode variar em função da opção tomada, seja pela aquisição de uma autocaravana nova (a partir de €60.000) ou usada, onde os preços variam consoante a idade”. O dia a dia implica seguro (desde €135/ano), consumo de gasóleo e portagens, mas também inspeção obrigatória e manutenção do veículo, entre outras.

Áreas de serviço de norte 
a sul de Portugal

O turismo em autocaravana é dos que proporcionam mais liberdade de movimentos. Naturalmente. A possibilidade de se ir sem tempo contado e sem local de paragem definido é, talvez, uma das maiores mais-valias de andar quilómetros com a “casa às costas”. Mas é importante que durante o percurso se respeitem as regras, fazendo uma manutenção correta do veículo.

De norte a sul de Portugal são mais de 300 as áreas de serviço disponíveis para autocaravanas, embora nem todas ofereçam o mesmo tipo de serviços. De Bragança a Faro, com paragens em Braga, Coimbra, Castelo Branco ou Beja, o que não faltam de fácil acesso aos veículos, com grelhas de drenagem prontas a receber águas sabonetadas (dos lava-louças e duche), bem como para despejo das cassetes do WC químico. E também com água para a limpeza e o abastecimento.

Há uma diferença substancial entre áreas de serviço e locais para pernoitar. Uma área de serviço pode, ou não, ter zona específica para descanso e apoio logístico para autocaravanistas em viagem. Já as zonas de pernoita, e em teoria, são todos os locais, “uma vez que não é uma situação proibida”, refere Paulo Barbosa. No entanto, acrescenta, “convém esclarecer que há alguns locais cuja permanência é interdita da meia-noite às 8 horas da manhã”, nomeadamente os que estão abrangidos por um decreto “que regula a elaboração e a implementação dos Planos de Ordenamento da Orla Costeira”.

Sou autocaravanista, 
sou o maior

Não há limites para um autocaravanista que não sejam “a capacidade de escolha e aventura de cada um. Há os que fazem pequenos percursos e os que viajam assiduamente, correndo vários países e até vários continentes”, diz Paulo, apontando o melhor e o pior de viver uma parte da vida sobre rodas. “Como melhor é a liberdade, o espírito de aventura e a vontade de conhecer. No pior está a falta de civismo, que não é exclusiva da classe autocaravanista, desrespeitando as regras essenciais da boa educação e convivência, enquadradas no interesse geral da sociedade.”

getty

Tal como era defendido no documento de 2014, mas que é hoje tão atual como há quatro anos, ser um bom caravanista passar por ser “um consumidor local, um colecionador de memórias e um agente de marketing territorial”. Turista que circula ao longo de todos os meses do ano, o autocaravanista “gosta da natureza e cuida da sua preservação”.

A experiência de alugar uma autocaravana pode ser muito interessante, ainda que possa não corresponder à exigência de ser um autocaravanista em si mesmo. Isto significa que um verdadeiro defensor do turismo sobre rodas tem que respeitar determinadas regras e padrões de comportamento. Porque faz parte de um clube de forma regular e isso é importante.

Ainda assim, há cada vez mais plataformas de aluguer de autocaravanas disponíveis no mercado e os últimos tempos trouxeram novas propostas. A última a surgir em Portugal foi a Yescapa, o Airbnb das autocaravanas, que permite que particulares possam alugar o seu veículo a outras pessoas, podendo dessa forma rentabilizá-lo nos meses em que o mesmo está parado. A Yescapa existe em França, Espanha, Inglaterra, Alemanha e Itália, e chega agora ao nosso país.

1
1