eco.pteco.pt - 12 ago 14:30

Portuguesa Codacy vai abrir escritório em Nova Iorque

Portuguesa Codacy vai abrir escritório em Nova Iorque

Startup portuguesa prepara-se para abrir espaço na grande maçã, sobretudo para equipa de marketing e vendas. Cerca de 63% da receita da empresa vem dos Estados Unidos.

A Codacy, startup portuguesa que permite corrigir código através de uma plataforma automatizada disponível em todo o mundo, vai abrir um escritório nos Estados Unidos, na cidade de Nova Iorque. Depois de Lisboa e de Londres, a startup quer continuar a contratar, apostando em marketing e vendas.

Ao ECO, Jaime Jorge, CEO e cofundador da empresa, conta que as dificuldades em encontrar pessoas para essas duas áreas ditaram a escolha da cidade para a localização do novo escritório.

“Estamos com dificuldade em contratar pessoas, com a experiência que nós queremos, em marketing e vendas. No fundo, queremos pessoas com experiência na área de Software as a Service (Saas), que é o que nós somos. E essas pessoas estão nos Estados Unidos”, justifica o engenheiro. Já a escolha de Nova Iorque, em detrimento de outras cidades norte-americanas que poderiam parecer escolhas mais evidentes, Jorge esclarece: “Pomos a cultura da empresa acima de tudo. Podíamos abrir em S. Francisco, mas essa não é a decisão número 1 para a cultura. Porque Nova Iorque está a cinco horas de distância de fuso horário, S. Francisco está a oito. Há voos diretos para Nova Iorque, podemos voar durante a noite e estar lá de manhã.”

De acordo com dados da Codacy, 63% das receitas da empresa vêm dos Estados Unidos e quase cinco em cada dez clientes estão no país. “Sabemos que, eventualmente, temos de ter lá presença. E achamos que está na altura de sermos mais ambiciosos e abrir lá presença oficial. Agora vamos fazer o salto, ter lá a empresa. Começar simples, mas vamos começar. O objetivo é termos lá marketing, algumas vendas para começar e, depois, vamos expandir”.

A abertura do escritório nova-iorquino da Codacy deverá acontecer no próximo mês e, até ao fim do ano, a empresa deverá recrutar mais membros para a equipa. Além de marketing e vendas, a empresa deverá contratar mais engenheiros e também para a área de suporte.

1
1