O líder parlamentar do PS defendeu hoje a manutenção de uma via reformista na ação governativa, com a recusa da austeridade da direita, mas advertindo que o caminho das tarefas impossíveis comprometeria a credibilidade da esquerda.