desporto.sapo.ptdesporto.sapo.pt - 13 jul 20:17

Um FC Porto 'super-económico' na defesa do título

Um FC Porto 'super-económico' na defesa do título

Os Dragões gastaram, até à data, sete milhões de euros em contratações e lucraram 61 milhões em 'vendas'....

Os Dragões vão entrar na nova época, que arranca a 04 de agosto com a disputa da Supertaça Cândido de Oliveira contra o Desportivo das Aves (vencedor da Taça de Portugal), com o estatuto de campeão nacional.

+ Sporting: um 'leão' de 'cara lavada' e casa arrumada + As novas 'asas' de uma 'águia' que tenta reconquistar o título de campeão nacional

O FC Porto deu o pontapé de saída para a época 2018/2019 no Olival, no passado 02 de julho, lugar onde Sérgio Conceição contou 24 elementos ao seu serviço. No comando técnico não há alterações, pois em equipa vencedora não se mexe.

Destaque para a baliza do FC Porto: Iker Casillas, José Sá, Vaná e Fabiano, todos vindos da época anterior.

Entradas e rumores

João Pedro (Bahia), Saidy Janko (St.Étienne), Ewerton Pereira (Portimonense) são os três nomes já confirmados para o novo Dragão, percebendo-se que Sérgio Conceição teve em atenção o reforço da defesa para a nova temporada. Porém, fala-se ainda da possível chegada de Chancel Mbemba (Newcastle), Éder Militão (São Paulo), Yves Bissouma (Lille), Daniele Verde (Verona), ou seja, dois defesas e dois médios.

João Pedro custou 4 milhões de euros aos cofres do FC Porto, Saidy Janko 3 milhões e Ewerton Pereira a custo zero, fazendo um total de 7 milhões gastos. Fala-se ainda na possibilidade de Janko deixar, em breve, o FC Porto para que possa jogar com regularidade noutro clube, podendo até continuar no campeonato português.

Regressos e promoções

À semelhança do que fez na época passada, Sérgio Conceição quer ver regressar os jogadores afetos ao clube, testá-los no Olival e nos jogos-treino e só depois tomar uma decisão quanto à continuidade no FC Porto.

Diogo Costa, Bruno Costa, Diogo Leite, Diogo Queirós, Oleg Reabciuk e Luizão são ‘prata da casa’ e foram promovidos do FC Porto. O treinador do FC Porto quer saber quais são os que estão preparados para jogar no campeonato principal do futebol português.

Quem teve direito a um bilhete de regresso foram Chidozie Awaziem (Nantes), Mikel Agu (Bursaspor), João Carlos Teixeira (Braga), André Pereira (V.Setúbal) e Adrián López (Deportivo). João Teixeira, que jogou com regularidade no emblema minhoto, tem guia de marcha e o futuro do avançado espanhol é incerto.

Saídas e rumores

Até à data - o mercado fecha a 31 de julho - o FC Porto já ‘despachou’ dez jogadores. Os negócios mais lucrativos foram as transferências do internacional português Ricardo Pereira para os ingleses do Leicester por 20 milhões de euros e ainda de Diego Dalot para o Manchester United por uns incríveis 22 milhões.

Quem também enriqueceu a conta bancária dos portistas foi Willy Boly, transferido para Wolverhampton por 12 milhões. Já a saída Miguel Layún para os espanhóis do Villarreal rendeu 4 milhões e a de Gonçalo Paciência (E.Frankfurt) 3 milhões.

A custo zero saíram Iván Marcano (Roma), André André (V.Guimarães), Wenderson Galeno (Rio Ave). Existe ainda a possibilidade de Hernani seguir as mesmas pisadas que André André e regressar à cidade-berço.

No total, o FC Porto já lucrou 61 milhões de euros neste mercado de transferência, mas também fez um desempregado: Diego Reyes, que continua sem clube.

Yacine Brahimi e Moussa Marega podem ser outros jogadores valiosos para ‘vender’, assim como Héctor Herrera, que tem o Lyon, Arsenal, Roma e o Milan à espreita. André Pereira (Portimonense) e Majeed Waris (Trabzonspor) também estão em cima da mesa para negociações.

1
1