expresso.sapo.ptexpresso.sapo.pt - 13 jul 18:21

Dois homens morreram enquanto esperavam por ajuda médica na Índia. As pessoas à sua volta preferiram tirar “selfies”

Dois homens morreram enquanto esperavam por ajuda médica na Índia. As pessoas à sua volta preferiram tirar “selfies”

Cerca de 60% das mortes causadas por descuido enquanto se tiram “selfies” acontecem na Índia. Um episódio recente, em que dois homens ficaram mais de meia hora à espera de ajuda perante uma audiência mais preocupada em documentar um acidente do que em chamar os serviços de emergência, está a chocar o país

A obsessão com as “selfies” é bem conhecida na Índia onde, entre março de 2014 e setembro de 2016, 127 pessoas morreram enquanto tiravam fotografias a si próprias. Desde esse ano, com a utilização de smartphones a crescer velozmente no segundo país mais populoso do mundo, a situação não melhorou. Mas uma notícia recente inverteu o problema: não só os indianos estão a colocar-se em riscos desnecessários, como também parecem mais preocupados em documentar nos seus telemóveis acidentes e tragédias do que em prestar auxílio a pessoas em apuros.

Uma notícia do Times of India indicia que a obsessão com as “selfies” pode ter estado na origem da morte de dois homens que, durante mais de meia hora, ficaram imobilizados numa estrada sem que ninguém tomasse a iniciativa de chamar ajuda depois de terem sofrido um grave acidente rodoviário. Nas redes sociais existem várias fotografias que mostram dois homens estendidos no asfalto a servir de fundo a várias “selfies”.

O incidente aconteceu no norte do país, em Rajasthan, quando três trabalhadores de uma fábrica de cimento local, que seguiam numa mota, bateram de frente com um autocarro de uma escola local. Um dos homens morreu imediatamente, mas os outros dois podiam ter sido salvos. As autoridades locais criticaram os atos de negligência das pessoas que viram tudo a acontecer e disseram que havia ainda tempo suficiente para levar aqueles homens a um hospital e possivelmente salvar-lhes as vidas.

A polícia de Deli quer introduzir uma nova política - o ato do “Bom Samaritano” - através do qual as pessoas que ajudarem as vítimas de acidentes rodoviários poderão ser compensadas com prémios em dinheiro.

1
1