www.jornaleconomico.sapo.ptjornaleconomico.sapo.pt - 13 jul 16:55

Quer ir de férias com a 'carteira recheada'? Siga estas 9 dicas

Quer ir de férias com a 'carteira recheada'? Siga estas 9 dicas

Sol, calor, viagens, praia, campo… todas estas palavras cabem no universo das férias de verão, uma das alturas mais desejadas pelos portugueses. No entanto, como é uma altura atípica, corremos o risco de gastar demais e ultrapassar o nosso orçamento, especialmente se usarmos o cartão de crédito nas

Como conseguir então ter umas férias financeiramente descansadas? O segredo passa por fazer férias à medida da sua capacidade financeira e para isso precisa de:

Planear: quanto mais cedo decidir o destino de férias e marcar, mais baratas as férias, por isso se conseguir tomar esta decisão e marcar até ao final do ano anterior vai poupar centenas de euros.

Fazer contas e escolher o destino e a duração das férias: olhando para as suas contas mensais e para o subsídio de férias (se o tiver), quanto é que lhe sobra para as férias de verão? É com base no orçamento que tem disponível que deve escolher o destino de férias e a sua duração, pois dessa forma garante férias desafogadas!

Compare preços: pode usar a Internet para pesquisar preços em sites de alojamento – Booking, Homeaway, Airbnb, etc., e consultar também uma agência de viagens, pois às vezes estas conseguem preços mais baixos por contratarem em bloco junto das companhias aéreas e hotéis.

Troque de casa: há uma série de plataformas nacionais e internacionais de troca de casa que pode usar para poupar centenas ou milhares de euros nas suas férias: consulte os sites trocacasa, craigslist e veja se não pode ser uma experiência especial e financeiramente mais sustentável trocar de casa no país ou no estrangeiro, tendo em conta que Portugal é um destino muito procurado.

Orçamente os gastos diários: a minha experiência diz-me que se dividirmos o montante total que temos para gastar nas férias pelo número de dias e gerirmos o nosso dinheiro com base nesse limite diário, vamos conseguir controlar melhor o dinheiro sem ter que andar sempre a fazer contas ou preocupados porque não as fazemos. Ainda mais se vai para fora do país. Nesse caso, deve dar atenção redobrada nas seguintes aspetos: avaliar o custo de vida local (alimentação, transportes, excursões entre outros gastos que previsivelmente terá).

Segure: os riscos da viagem, se ainda não estiverem cobertos por nenhuma apólice (por exemplo o seu seguro automóvel, se vai viajar de carro, deve ter também incluída a assistência em viagem). A maior parte dos cartões de crédito oferece aos clientes que pagam as viagens com o cartão o seguro de assistência em viagem. De qualquer forma, e em função do destino de férias e das coberturas de que precise, pode simular nas páginas das seguradoras qual o mais adequado para si.

Use a tecnologia: há algumas apps no mercado que o podem ajudar a poupar alguns euros na viagem. Descarregue uma dessas ferramentas porque certamente será útil. Se vai para fora a Skyscanner é uma boa forma de poupar nos voos, porque ajuda a comparar os preços antes de comprar a viagem. A Kayak pode ser útil para reservar voos, alojamento, alugar carro, entre outros serviços. Permite também ver as opç��es mais baratas e ainda oferece na sua plataforma a possibilidade de elaborar roteiros, verificar horários de voos e receber alertas de promoções. A Drivvo serve para poupar dinheiro a quem viaja de carro. Faz a gestão dos gastos do veículo de forma fácil e rápida. Controla desde o abastecimento à manutenção, permite consultar relatórios detalhados e ainda guardar as datas importantes relacionadas com o seu veículo.

Quanto mais criativo, mais divertido: se o seu orçamento não lhe permite viajar nestas férias, use a criatividade – faça almoços ou jantares temáticos com comida de países que gostaria de visitar, organize piqueniques e passeios a pé na sua cidade, vila ou aldeia para ver com olhos de turista aquilo que durante o ano não consegue ver. Aposto que vai descobrir muitas coisas novas!

Dinheiro e crianças: este período de descontração é uma tentação, pois mais tempo livre pode implicar mais tempo para compras e maior consumismo desnecessário. Quem tem filhos pequenos sabe quanto custa ter de dizer “não” aos brinquedos para a praia, aos passeios no mar, às guloseimas diárias e a tantas outras coisas a que as férias convidam. As férias de verão podem ainda ser uma excelente altura para dar início à educação financeira dos seus filhos: partilhe com eles o limite diário de gastos e proponha que o ajudem a respeitá-lo. Poupar pode ser divertido. Boas férias!

1
1