observador.ptobservador.pt - 14 jun 18:16

Instituto do Sangue angolano lança hino para incentivar doação voluntária

Instituto do Sangue angolano lança hino para incentivar doação voluntária

A música, uma composição dos cantores angolanos Filipe Zau e Filipe Mukenga, foi apresentada em Luanda durante o ato central do Dia Mundial do Dador de Sangue.

O Instituto Nacional de Sangue (INS) de Angola procedeu esta quinta-feira à apresentação da música “Vida é Sangue”, como o hino oficial da Campanha Nacional de Incentivo à Dádiva de Sangue Altruísta e Regular no país.

A música, uma composição dos cantores angolanos Filipe Zau e Filipe Mukenga, foi apresentada em Luanda durante o ato central do Dia Mundial do Dador de Sangue, e segundo o INS “visa sensibilizar a nação angolana a doar sangue ante a escassez de dadores voluntários que o país regista”.

“Sangue é vida, vida é sangue, é salvar, sorrir e festejar. Sê altruísta. Um dia, de sangue podes vir a precisar. Sê amigo solidário, ao seres um dador não é pois nenhum favor, mas sim um ato de amor. Doa sangue, doa vida”, são os versos da música.

A par de Filipe Zau e Filipe Mukenga, os músicos angolanos Gary Sinedima, Anabela Aya, Toty Samed e Catiliana também participaram neste hino, interpretado hoje ao vivo durante a cerimónia.

Em declarações aos jornalistas, a cantora Catiliana manifestou-se “radiante” por fazer parte da Campanha Nacional de Incentivo à Dádiva de Sangue Altruísta e Regular, afirmando ter abraçado a causa “com muito apreço”. “Nunca estive envolvida numa causa dessas, principalmente no que se refere à doação de sangue e logo que recebi o convite de Filipe Mukenga abracei o projeto com muito gosto. Dei a minha voz, é o meu modesto contributo para esta campanha que deve envolver todos”, apontou. Doar sangue, acrescentou, “é importante, é fulcral e deve ser uma ação solidária feita diariamente”.

Angola registou em 2017 cerca de 151.000 dadores, 126.000 familiares e 11.000 voluntários, tendo sido colhidas 138.000 unidades de sangue, longe das 360.000 unidades de que o país precisa anualmente, anunciaram hoje as autoridades.

“Faça a diferença na vida de alguém. Dê sangue e partilha a vida” foi lema das celebrações do Dia Mundial do Dador de Sangue, cujo ato central em Angola, decorreu no Cine Atlântico, em Luanda.

1
1