expresso.sapo.ptexpresso.sapo.pt - 14 jun 21:59

Bastavam 100 armas nucleares para transformar o mundo num inferno, dizem cientistas

Bastavam 100 armas nucleares para transformar o mundo num inferno, dizem cientistas

Estudo de cientistas da Michigan Technological University e da Tennessee State University revela que ultrapassar essa barreira significa matar o próprio povo e transformar a atmosfera

Cenário imaginário: Donald Trump tem um ataque de fúria e carrega no botão maldito, ordenando o exército dos Estados Unidos a levar a cabo uma ofensiva contra a China com 100 armas nucleares. Antes de os mísseis chegarem à Ásia, morrem 30 milhões de pessoas nos EUA. É esta a estimativa de uma equipa de cientistas norte-americanos sobre o impacto de ataques nucleares de larga escala.

Os autores do estudo, publicado na “Safety”, aqui citado pelo “The Telegraph”, revelam que as consequências nos territórios dos países que atacam seria catastrófica. O rasto de devastação que o “outono nuclear” provocaria levaria à morte de milhões de pessoas, assim como à destruição de 20% dos terrenos agrícolas.

Segundo estes cientistas, elementos da Michigan Technological University e da Tennessee State University, bastaria o lançamento de 100 mísseis para virar o mundo do avesso. Essa é a barreira, pois mais do que isso seria contraproducente até para o próprio povo. Não há uma razão "pragmática" para ultrapassar esse limite, dizem.

Esse ataque nuclear levaria ainda à alteração da atmosfera, aumentando a radiação ultravioleta e contribuindo para a redução da temperatura global e precipitação (-19%).

1
1