www.jn.ptjn.pt - 14 jun 19:48

Bebé que morreu na creche estava ″normalíssimo, como todos os dias″

Bebé que morreu na creche estava ″normalíssimo, como todos os dias″

Uma equipa de psicólogos da Cruz Vermelha vai deslocar-se esta sexta-feira a Valença para dar apoio aos funcionários e à família do bebé que morreu, na quarta-feira, numa creche da instituição naquela cidade.

Segundo a diretora do serviço, Suzete Ribeiro, a morte do menino que fazia cinco meses no próximo dia 20, "foi uma situação única na creche, que está com lotação máxima de 50 crianças, e para a qual ninguém está preparado". Adiantou que, apesar do diagnóstico médico indicar que se tratou de "morte súbita", o mesmo será confirmado através de autópsia. E declarou que a instituição não avançará com qualquer procedimento ou inquérito relacionado com a situação. "A GNR esteve no local e fomos todos interrogados. Não há suspeitas de nada", garantiu.

Quanto ao sucedido, contou que a criança foi deixada na creche pela família cerca das 13 horas, levada por uma educadora para o berçário e entregue a uma auxiliar. "O menino reagia bem, como todos os dias, estava normalíssimo. A auxiliar colocou-o na caminha para dormir, adormeceu-o e num intervalo de 20 minutos olhou e achou-o muito pálido, com os lábios já roxos. Deu o alerta e saiu para a receção com o menino nos braços", disse.

"Estava cá, por acaso, uma médica da Medicina no Trabalho, que iniciou manobras de reanimação. Depois apareceu o nosso clínico que ajudou e chamou-se o INEM e a SIV, mas não se conseguiu reverter a situação", contou.

E concluiu: "As duas funcionárias que presenciaram mais a situação tiveram que ir para casa com crises de ansiedade e uma delas foi assistida pelo INEM. Sexta-feira vem uma equipa de psicólogos encaminhada pela sede da Cruz Vermelha para prestar apoio psicossocial ao pessoal que não está em condições e à família da criança", referiu Suzete Ribeiro.

1
1