www.jn.ptjn.pt - 13 jun 12:12

Alfama acordou tranquila e quase limpa depois da festa

Alfama acordou tranquila e quase limpa depois da festa

Bairro de Alfama conquistou o tri no concurso das Marchas Populares de Lisboa, mas festejos foram menos efusivos do que em anos anteriores.

"Aqui ninguém se apercebeu de que tínhamos ganho", lamentava na manhã desta quarta-feira Vítor Costa, que, depois de ter fechado a sua banca às quatro horas, ficou à espera para saber o resultado daquele que "é símbolo do bairro" localizado no centro histórico da capital. Não é difícil de acreditar.

Pelas 10 horas desta quarta-feira, ainda havia quem perguntasse a quem encontrava pelo caminho se Alfama se tinha ou não sagrado vencedora do concurso criado em 1932, com a maioria a dizer ao JN que o soubera pela televisão ou pelo Facebook e não pelos vizinhos.

"Eu ainda ouvi um 'yeah, yeah, Alfama é que é!' quando estava a acordar, às seis da manhã", contou Rosa Ferreira, 72 anos, sem abandonar o balcão do café onde um casal de turistas nortenho tomava o pequeno-almoço.

Eram, de resto, sobretudo turistas quem, esta quarta-feira de manhã, palmilhava os becos e as ruelas do bairro, ainda impregnado do odor a álcool e sardinhas assadas característico da noite de santos populares. Aqui e ali, cruzavam-se com os funcionários da junta de freguesia local que lavavam o empedrado e varriam o pouco lixo que subsistia no espaço público.

Além do primeiro lugar no concurso geral, Alfama ganhou ainda os prémios de melhor coreografia, melhor musicalidade, melhor composição original, melhor letra (em ax aequo com a Madragoa) e melhor figurino (em ex aequo com o Bairro Alto e Carnide). Em segundo e terceiro do concurso geral ficaram, respetivamente, o Bairro Alto e a Madragoa, anunciou, em comunicado, a Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC). Estas duas marchas venceram ainda a categoria de melhor desfile na Avenida da Liberdade. Já a de melhor cenografia foi conquistada por Alcântara.

1
1