observador.ptobservador.pt - 18 mai 07:00

Porto Tech Hub discute futuro da tecnologia através de “simples conversas”

Porto Tech Hub discute futuro da tecnologia através de “simples conversas”

A quarta edição da Porto Tech Hub Conference realiza-se esta sexta-feira, na Alfândega do Porto: 16 oradores vão fazer parte do evento. Futuro da tecnologia é o mote das 'talks'.

Quais os desafios da evolução tecnológica? Que impacto vão ter as mudanças na tecnologia? O futuro traz perspetivas e desafios, e a quarta edição da Porto Tech Hub Conference quer colocar as questões em cima da mesa. E debatê-las.

O evento de inovação e desenvolvimento tecnológico realiza-se esta sexta-feira, dia 18, no Centro de Congressos da Alfândega do Porto. Entre os 16 oradores que vão marcar presença nas conferências estão nomes internacionais como Antonio Alvarez, responsável pelo desenvolvimento de negócio da Amazon, Francisco Caldas, diretor executivo para a captação de talentos na Microsoft e Diego Moreda, engenheiro de software da IBM.

Se na edição passada os temas abordados eram especificamente técnicos, este ano a organização quis dar mais um passo e acolher mais diversidade. As ‘talks’ vão decorrer em dois palcos: o Palco Trends, dedicado à discussão sobre as tendências de domínio tecnológico e o impacto nos futuros empregos, e o Palco Techs, onde vão ser apresentados temas de domínio mais técnico.

Luís Neves, presidente da Porto Tech Hub, explicou ao Observador que o objetivo passa por alargar a audiência, mas sem esquecer o público mais tecnológico: “Queremos trazer todo o tipo de pessoas que pretendam esclarecer dúvidas e tudo o que cada vez mais se vai ouvindo na comunicação social”. E isto, acrescenta, faz-se “através de simples conversas entre todos”.

Mas, porquê “os empregos do futuro e as tecnologias” como tema? “Eu próprio, mesmo estando no mundo tecnológico, tenho alguma dificuldade em conseguir explicar como é que a juventude se deve ir preparando para a sua fase profissional”, respondeu o também business developer na Critical Software, uma das empresas organizadoras do evento, acrescentando que a Porto Tech Hub quer dar a conhecer aos participantes diferentes formas de “olhar para as transformações radicais que já se começam a assistir e que se vai continuar a assistir nos próximos anos”.

Do mundo académico vêm convidados como John Fitzgerald, diretor da Escola de Engenharia Informática da Universidade de Newcastle e José Nuno Oliveira, professor e investigador da Universidade do Minho.

Entre investigadores, empresários da área tecnológica e alunos da área, a organização espera voltar a encher a Alfândega do Porto e igualar ou superar os cerca de 800 participantes que estiveram presentes no ano passado.

O Porto como ‘pivot’ tecnológico

Quando a Porto Tech Hub foi criada, numa parceria entre a Farfetch, a Critical Software e a Blip, três empresas com ligações à cidade, a missão era promover o Porto como ‘pivot’ tecnológico, colocá-lo no mapa da inovação e captar novos talentos na área das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC).

Para Luís Neves, a missão tem sido cumprida. “O Porto tem ganho uma grande força e dinâmica, e está a conseguir conciliar várias coisas de uma vez só e num curto espaço de tempo”. O turismo, a melhoria das ligações internacionais e, acima de tudo, a forma como a cidade se relaciona e acolhe todos os países, são aspetos que, para Luís Neves, têm contribuído para um crescimento contínuo.

1
1