observador.ptobservador.pt - 17 abr 15:57

Vistos gold. Investidores aproveitam programa e acabam por fazer outras apostas

Vistos gold. Investidores aproveitam programa e acabam por fazer outras apostas

Ministro da Economia disse que muitos investidores que entraram em Portugal no âmbito dos vistos gold começaram a "olhar para outro tipo de investimento" quando já estavam no país.

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, afirmou esta terça-feira que há investidores que entraram em Portugal através da compra de imobiliário, no âmbito dos vistos gold, e que depois “começaram a olhar para outro tipo de investimentos”. Manuel Caldeira Cabral falava na comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas, no âmbito de uma audição regimental que durou mais de três horas.

Relativamente aos vistos gold, programa de captação de investimento que concede visto de residência a investidores fora do espaço europeu, o ministro da Economia destacou como “interessante” o facto de “muitos dos investidores que vieram fazer investimento imobiliário com acesso ao visto de residência, depois de se instalarem em Portugal, começaram a olhar para outro tipo de investimentos, outro tipo de oportunidades”.

Ou seja, começaram a pensar em “trabalhar para o mercado europeu a partir do mercado nacional” e “começaram a restabelecer os seus investimentos aqui”, em Portugal, afirmou o governante, salientando que esta tendência “não é uma questão apenas dos vistos gold”. Manuel Caldeira Cabral disse ainda que nos três anos anteriores a este governo — entre 2013 e 2015 — “houve um aumento de cerca de 900 vistos gold por ano”.

Já o atual governo regista “um aumento de cerca de 1.400” desde que assumiu funções, prosseguiu. “Estamos, de facto, com números claramente superiores aos registados anteriormente”, disse, embora assumindo que quando o novo executivo assumiu funções o regime de Autorização de Residência para Atividade de Investimento (ARI), em vigor desde o dia 8 de outubro de 2012, “estava bastante paralisado”, nomeadamente devido a processos judiciais em curso.

O ministro recordou que “havia nos serviços uma certa resistência em pegar os processos”, que se estavam a acumular, e que o Ministério da Economia, tal como os Negócios Estrangeiros e a Administração Interna avançaram para acelerar o processo. Os vistos gold são uma área onde vai “continuar a haver desafios”, considerou.

Onde o Estado falha

Conhece algum caso em que o Estado está a falhar? O seu hospital não funciona? Chove na escola onde o seu filho anda? A esquadra tem más condições? Preencha o formulário para os jornalistas do Observador investigarem.

1
1