expresso.sapo.ptexpresso.sapo.pt - 17 abr 18:59

Região Norte. Produtividade é 15% inferior à média nacional

Região Norte. Produtividade é 15% inferior à média nacional

A região portuguesa mais industrial e exportadora tem défice de produtividade. A população empregada é pouco qualificada

A produtividade do trabalho da Região Norte, apesar de registar uma evolução favorável, é 15 por cento inferior à média nacional, de acordo com o perfil da região traçado pelo gabinete de estudos da Associação Empresarial de Portugal (AEP).

Esta "é uma fragilidade estrutural que não pode ser ignorada" por condicionar o crescimento da economia. A produtividade "é um dos fatores essenciais trajetória de crescimento sustentado de um país", adverte o estudo.

Défice de qualificação

O gabinete da AEP reconhece que o défice de produtividade está relacionado "com o tipo de especialização produtiva da região". Mas, defende que só uma maneira de ganhar a batalha da produtividade: através da " valorização e qualificação da população empregada".

A "adequação de competências às aceleradas mudanças", no âmbito da digitalização da economia e da indústria 4.0, "coloca-se atualmente com especial acuidade", refere o documento da AEP.

A formação e qualificação permitiram "combater o desajustamento" no emprego entre procura e oferta e resolver o aparente paradoxo em que região mergulha: o mercado de trabalho lida com uma taxa de desemprego e com escassez de mão-de-obra.

Riqueza per capita inferior à média

Como aspetos positivos da região, o estudo da AEP aponta o elevado peso na criação de riqueza (30% do Produto Interno Bruto), a tradição industrial ( 40% da receita da indústria transformadora) e a vocação exportadora (40% do total das exportações de bens).

O Norte é que região portuguesa que mais emprega (35% do emprego total) e a que apresenta uma balança comercial de bens mais favorável: o excedente de 5,7 mil milhões de euros compara com o défice de 13,8 milhões do país, em 2017.

Apesar destes indicadores, o PIB per capita do Norte é apenas 85% da média portuguesa e 65% da média da União Europeia.

A AEP encerrou estar terça-feira o seu programa Novo Rumo a Norte que envolveu uma rede colaborativa de 140 entidades e premiou oito projetos de empreendedorismo promovidos nas várias sub-regiões nortenhas.

1
1