observador.ptobservador.pt - 17 abr 13:12

Viva! Ninguém morre num Volvo XC90 há 16 anos

Viva! Ninguém morre num Volvo XC90 há 16 anos

Não corra já para um concessionário Volvo, a achar que lá se vende o elixir da juventude. O que dizem as estatísticas é que, nos últimos 16 anos, ninguém a bordo de um XC90 morreu no Reino Unido.

A conclusão é de um estudo independente, levado a cabo pelo Thatcham Research Centre: desde que o XC90 foi introduzido no mercado britânico, em 2002, foram vendidas mais de 50 mil unidades deste Volvo. E, no entanto, as estatísticas sugerem algo que não deixa de ser impressionante: nos últimos 16 anos, ninguém no Reino Unido morreu a bordo do maior dos SUV suecos!

Mesmo admitindo que os dados estatísticos avançados pelo Telegraph incorporam sempre um certo grau de falibilidade, esta não deixa de ser uma excelente notícia para a Volvo. Construtor que não só sempre fez da segurança uma das suas grandes “bandeiras”, como até já se comprometeu com um objectivo ambicioso, tendo estabelecido como meta, a partir de 2020, que ninguém a bordo dos seus modelos (produzidos a partir dessa data) perca a vida. Num acidente, claro.

Convém admitir que o desígnio da Volvo e, sobretudo, o prazo a que está associado, é algo difícil de alcançar, tendo presente a quantidade de variáveis que podem intervir num acidente. Por muito que evoluam os sistemas de segurança, a história já deu provas de que se os humanos falham, a tecnologia também. A propósito, pode ler aqui as piadas que Jeremy Clarkson faz sobre o tema, num ensaio (pouco feliz para a Volvo) de um S90.

Contudo, nada disto retira o mérito de querer fazer mais e melhor em prol da segurança. E os testes realizados pelo Euro NCAP estão aí para ajudar a esclarecer, em parte, como é que se obtêm resultados estatísticos tão positivos em duas gerações do XC90.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote no primeiro concurso em Portugal dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carroVote agora
1
1