observador.ptobservador.pt - 17 abr 19:36

A vida quase incógnita de Carles Puigdemont em Berlim: vive num aparthotel de três estrelas e anda acompanhado por seguranças

A vida quase incógnita de Carles Puigdemont em Berlim: vive num aparthotel de três estrelas e anda acompanhado por seguranças

Carles Puigdemont vive em Berlim desde o princípio do mês e já confessou que quer "procurar alguma normalidade". O ex-presidente catalão anda sempre acompanhado de seguranças e do amigo empresário.

No passado dia 6 de abril Carles Puigdemont foi libertado do Estabelecimento Prisional Schleswig-Holstein, na Alemanha, depois de ter sido detido na fronteira daquele país com a Dinamarca. Desde aí, o ex-presidente catalão tem gozado da sua liberdade condicional praticamente incógnito, em Berlim.

Puigdemont vive num aparthotel de três estrelas no distrito de Charlottenburg, na antiga Berlim ocidental, onde uma noite custa entre 78 a 100 euros. No mesmo local reside Josep Maria Matamala, o empresário catalão que tem acompanhado o ex-presidente da Generalitat desde que este viajou para Bruxelas. Ainda que fique numa zona discreta, o aparthotel está perto do centro da cidade e tem duas grandes superfícies nas redondezas. Desde o princípio do mês, Puigdemont e Matamala já receberam várias visitas.

A mais recente, no passado fim de semana, foi das respetivas mulheres — e das filhas, no caso de Puigdemont. As duas famílias, sempre acompanhadas por três homens com aspeto de seguranças, almoçaram num restaurante perto do aparthotel e deram de seguida um passeio. Despediram-se por volta das 15h00 de domingo: as duas mulheres e as duas crianças foram de táxi para o aeroporto, o político e o empresário dirigiram-se para a Casa da Democracia e dos Direitos Humanos para uma reunião com a comunidade catalã em Berlim.

O El Mundo conta que à entrada da sala onde se realizou o encontro estava uma mesa com vários objetos: um bloco para os participantes se registarem, folhetos pró-independência e uma lata com um pedaço de cartão que convidava as pessoas presentes a efetuar doações à causa catalã. Os jornalistas não puderam assistir à reunião, já que o evento foi à porta fechada e circunscrito aos convidados. Entre esses convidados estavam também cidadãos alemães que apoiam Carles Puigdemont.

O antigo presidente catalão tem vivido de forma discreta e quase incógnita, tendo já confessado que quer “procurar alguma normalidade”. Nos próximos dias, vai dar uma conferência na Hertie School of Governance e uma entrevista à Discovery Channel.

1
1