www.jn.ptRui Sá - 16 abr 00:00

A ponte é uma miragem

A ponte é uma miragem

Na manhã de um dia da década de 90, comprei, como habitualmente, o jornal e, no seu interior vi uma planta que mostrava, na zona da Arrábida, a localização de uma nova ponte que iria ser construída entre o Porto e Gaia. O que me assustou porque, a ser verdade, significava que a casa onde vivia seria demolida...

Naquela altura era presidente da Câmara Fernando Gomes, que, semanalmente, fazia sair umas notícias com inúmeros projetos que iriam avançar, mas que, com a maestria do próprio e do seu gabinete de Comunicação, a que se juntava uma Comunicação Social acrítica, conseguia a proeza de fazer as pessoas pensarem que já não era de sonhos que se falava mas sim de obras...

Também por essa altura entrou para o anedotário da cidade a apresentação, por Fernando Gomes, do "projeto" de outra ponte, na zona dos Guindais (e aqui até já havia um boneco da obra de arte!), perante a estupefação do então presidente da Câmara de Gaia, Heitor Carvalheiras...

Foi nestes exemplos que pensei quando vi os presidentes das câmaras do Porto e de Gaia a apresentarem, esta semana, a "nova ponte sobre o Douro". Com localização precisa, custo, modelo de financiamento e... já batizada (já agora, a ser um bispo católico - o que é discutível -, deveria ser D. António Ferreira Gomes).

Mas a verdade é que, não obstante tão "avançado" processo de "maturação", nada mais há do que um eventual desejo! Que nunca foi analisado - ou sequer apresentado - aos órgãos autárquicos, pelo menos do Porto. Ponte essa que não consta do PDM em vigor no Porto e que nunca foi apresentado em sede da Comissão de Acompanhamento da revisão do PDM criada no âmbito da Assembleia Municipal. Nem tem qualquer verba inscrita ou referência no Plano de Atividades e no Orçamento para 2018. E, esmiuçando a "notícia", constatamos que não foi apresentado nenhum estudo de tráfego, não há nenhum projetista selecionado e, consequentemente, nenhum projeto de ponte (cota, dimensões, reperfilamento de vias de acesso...). Ou seja, não há, ainda, nada...

Vemos, assim, que Rui Moreira, não conseguindo, ao fim de 5 anos de presidência da câmara, inaugurar uma obra, entrou na fase da inauguração de... ideias! E fá-lo, curiosamente, na mesma semana em que, em entrevista ao JN, Francisco Ramos, o líder do seu partido (perdão, movimento!), anuncia estar "plenamente convencido" que Rui Moreira (ao contrário do que este afirma!) se recandidatará a um terceiro mandato "se não conseguir implementar o seu programa em oito anos"!... Está dado o mote para Rui Moreira dar o dito por não dito...

Como cantam os Jafumega, para Rui Moreira "a ponte é uma passagem prà outra margem" (que é como quem diz, para o outro lado do que tem dito...). Mas, como também (bem) cantam, para os portuenses e gaienses "a ponte é uma miragem...".

ENGENHEIRO

1
1