observador.ptobservador.pt - 15 mar 00:03

Toys R Us vai fechar todas as lojas nos Estados Unidos e Reino Unido

Toys R Us vai fechar todas as lojas nos Estados Unidos e Reino Unido

A Toys R Us, que há seis meses declarou falência, tem tido dificuldades a encontrar compradores e vê-se obrigada a fechar cerca de 900 lojas nos EUA e no Reino Unido.

É o fim da linha para a loja que ao longo de sete décadas foi um sinónimo de brinquedos: a Toys R Us vai fechar todas as lojas no Reino Unido e nos Estados Unidos da América se não encontrar um comprador. Ao todo vão ser afectadas quase 900 lojas e cerca de 36 mil postos de trabalho.

A empresa declarou falência há seis meses e tem tido dificuldades em encontrar compradores, escreve o The Washington Post. No Reino Unido, onde a empresa tinha até esta quarta-feira para encontrar um comprador, as 75 lojas ainda abertas vão juntar-se às 25 que a retalhista já tinha fechado. Nos EUA, onde a empresa já tinha encerrado 182 lojas em janeiro com esperanças de evitar a liquidação, são quase 800 as que agora vão encerrar — e 32 mil as pessoas que vão perder o emprego.

Os funcionários das lojas norte-americanas foram notificados de que as lojas vão fechar ao longo do tempo e não de uma só vez. Estima-se que os encerramentos das lojas da Toys R Us vão decorrer ao longo de um período de seis semanas.

A gigante do comércio eletrónico Amazon e grandes retalhistas como a Walmart e a Target têm vindo a conquistar fatias cada vês maiores do mercado dos brinquedos, tendo as vendas da Toys R Us no último Natal sido bastante baixas, reporta a CNN.

A empresa, que no ano passado declarou cerca de 8 mil milhões de dólares de dívida versus apenas 6.6 mil milhões de dólares em receitas, deve a cerca de 100 mil credores, entre os quais se destacam o Banco de Nova Iorque, a Hasbro e a Mattel, duas das maiores fabricantes de brinquedos. De acordo com a CNN, a Toys R Us não fazia lucros anuais desde 2012.

As lojas da Toys R Us vão, por isso, entrar em liquidação, sendo possível adquirir produtos a um preço mais reduzido naquela que durante anos foi uma referência no mundo dos brinquedos. Amanhã, 15 de março, fecham de vez mais 25. Espera-se que outras centenas por todo o mundo tenham o mesmo destino.

1
1