expresso.sapo.ptexpresso.sapo.pt - 14 mar 19:51

Sonae Sierra. Lucros descem, mas passam os 100 milhões

Sonae Sierra. Lucros descem, mas passam os 100 milhões

Em Portugal, as vendas dos lojistas da empresa cresceram 5,6%. Em Espanha subiram 10,8%

A Sonae Sierra fechou 2017 com um resultado líquido de 110 milhões de euros, menos 39% do que um ano antes, anunciou a empresa em comunicado enviado para a CMVM - Comissão do Mercado de Valores Mobiliário. A explicar a descida, a Sonae Sierra refere o "menor valor criado nas propriedades de investimento".

O resultado indireto caiu 64%, para os 45 milhões de euros, refletindo, também, a menor criação de valor nas propriedades de investimento, "com menor compressão das taxas de capitalização em Portugal e Espanha", a diminuição dos ganhos realizados com vendas de propriedades e, ainda, o facto de 2016 ter beneficiado do impacto favorável da abertura do ParkLake, refere a empresa.

Já o resultado direto aumentou 14%, para os 65 milhões de euros, e o EBIT saltou 8,5%, atingindo os 105 milhões de euros.

No portfólio europeu da empresa, as vendas dos lojistas subiram 7,8%, com destaque para a Roménia, onde abriu o ParkLake. Em Portugal a subida foi de 5,6% e em Espanha chegou aos 10.8%, a refletir "uma contínua recuperação económica", comenta a empresa.No Brasil, a subida foi de 6,.8%.

A taxa de ocupação global do portfólio caiu ligeiramente, 0,6 pontos percentuais, para 96%, mas em Portugal e Espanha este indicador cresceu para 99.1% e 94,4%.

178 novos contratos

Mantendo uma estratégia de reciclagem de capital, desenvolvimentos e crescimento da prestação de serviços, da Europa a Marrocos e à Colômbia, a empresa fechou o ano com um NAV de 1,4 mil milhões de euros, mais 1% do que em 2016.

Na área da prestação de serviços, assinou 187 novos contratos.

Quanto a financiamentos, a empresa sublinha que "continua a beneficiar de um bom acesso" a capital e justifica esta afirmação apresentando dados do refinanciamento da dívida: em 2017 refinanciou a dívida em seis centros comerciais, num total de 729 milhões de euros. O custo médio da dívida da empresa é, atualmente, de 3,8% (3,1% sem o Brasil), menos 0,2 pontos percentuais que um ano antes.

A Sonae Sierra tinha, no final do ano, 113 milhões de euros em empréstimos obrigacionistas, 25 milhões em papel comercial e 641 milhões em empréstimos bancários, num total de 779 milhões de euros.

"A Sonae Sierra manteve a sua estratégia conservadora de financiamento de longo prazo e de cobertura de risco de taxa de juro. A estrutura de capital da empresa é suportada por uma maturidade média da dívida de 3,4%, sendo que 40% está abrangida por instrumentos de cobertura de risco de taxa de juro", destaca a empresa.

"Um ano muito positivo"

No comentário de balanço ao exercício, o presidente executivo da Sonae Sierra, Fernando Guedes de Oliveira, refere que 2017 foi "um ano muito positivo, quer em termos operacionais, quer em termos financeiros" e deixa uma nota sobre o reforço da exposição ao desenvolvimento de projetos e a ampliação da escala e abrangência geográfica dos serviços.

A empresa, com escritórios em 12 países, tem 46 centros comerciais com um valor de mercado de 7 mil milhões de euros, gere e /ou comercializa 81 centros comerciais e tem 14 projetos em desenvolvimento, incluindo 7 para clientes.

A Sonae Sierra trabalha , atualmente, com mais de 20 co investidores a nível de ativos e gere quatro fundos imobiliários para investidores em todo o mundo.

1
1