www.sabado.ptFlash - 14 mar 07:00

José Pestana em ação 30 anos depois

José Pestana em ação 30 anos depois

“Divertir os outros é um dos modos mais emocionantes de existir” – Clarice Lispector (1920-1977), jornalista e escritora ucraniana-brasileira

Entusiasmado com a recente visita de Marcelo Rebelo de Sousa a São Tomé e Príncipe, o diretor de relações exteriores da EuroAtlantic Airways – acionista da companhia aérea de São Tomé e Príncipe, a STP Airways – divulgou, nas redes sociais, fotos que confirmaram o que as televisões já nos tinham mostrado: o êxito de mais uma viagem presidencial.

A novidade para mim, na reportagem, foi o "reaparecimento" público desse diretor da EuroAtlantic, o meu velho amigo José Caetano Pestana.

Na longínqua Lisboa noturna das décadas de 80 e 90, a que me tenho aqui referido tantas vezes, o Zé era uma das suas figuras mais emblemáticas, um homem sempre impecavelmente vestido, agradável no trato, feliz com a vida, aberto ao Mundo, empenhado em resolver problemas, em promover festas, em facilitar negócios, enfim, pronto para tudo o que coubesse no raio de ação de um RP de topo.

Referência incontornável da noite, o Zé Pestana tinha "escritório" montado no mítico Stones, na Lapa, de lá partindo guiado por um sentido único de oportunidade.
Onde estava a dar, não falhava. Onde havia mulheres bonitas, ele chegava antes. Só o conheci indisponível para alimentar inimizades.

Passaram 30 anos, meu príncipe da concórdia, e estás quase igual, estamos quase iguais. Ou será que não? Discutiremos isso ao almoço. Pago eu, não me venhas com conversas.

1
1