expresso.sapo.ptManuela Ferreira Leite - 13 mar 11:30

Sim… mas

Sim… mas

Este artigo de opinião foi publicado incompleto no sábado no semanário Expresso, sem as duas últimas linhas, por um erro do Expresso. Aqui se republica o artigo na íntegra, com um pedido de desculpas pelo lapso a Manuela Ferreira Leite e aos leitores



A avaliação da situação económica do nosso País por parte das Instâncias Europeias melhorou ao ponto de nos retirar do grupo de países da União Europeia com “desequilíbrios macro económicos excessivos” e passar a considerar-nos apenas com “desequilíbrios macro económicos”.

Desconhecem-se os critérios objectivos que marcam a fronteira entre “excessivos” e “aceitáveis”, a não ser a mudança política de atitude, há muito esperada, perante as consequências nefastas de muitas das imposições Europeias aos países em dificuldades e que ainda há pouco tempo eram verdades indiscutíveis.

O que é de mais evidente nesta forma de avaliação é que, por um lado, mesmo sem as reformas estruturais que se afirma não terem sido feitas, ocorreram melhorias em indicadores económicos relevantes.

Por outro lado, a degradação da qualidade de importantes serviços públicos que resultaram das políticas de redução do défice não constituem elementos de preocupação nem de apreciação negativa da situação económica do País.

São os números que contam e não, em muitos casos, as realidades que daí resultam.

Fica-se com a impressão de que as estatísticas passaram a estar ao serviço de objectivos políticos, desprezando o seu significado quanto ao bem estar das populações.

No relatório, afirma-se que a economia está melhor, mas…

Contei mais “mas” do que afirmações positivas.

A minha incompreensão aumentou.

1
1