observador.ptobservador.pt - 15 fev 17:17

Ministério Público pede pena máxima para Pedro Dias

Ministério Público pede pena máxima para Pedro Dias

O Ministério Público entende que Pedro Dias deve ser condenado a 25 anos de prisão pelo homicídio do militar Caetano e do casal Pinto e pelo homicídio tentado do militar da GNR Ferreira.

O Ministério Público pediu, esta quinta-feira, pena máxima de 25 anos para Pedro Dias pelos homicídio na forma consumada do militar da GNR Carlos Caetano e do casal Liliane e Luís Pinto, bem como do homicídio na forma tentada do militar António Ferreira.

“Entendemos que, por cada um dos crimes de homicídio, deve ser condenado em penas parcelares próxima da moldura máxima”, afirmou a procuradora, esta quinta-feira em tribunal.

O MP deixou, contudo, cair o crime de homicídio na forma tentada de Lídia da Conceição, mulher sequestrada em Moldes, considerando que se tratou antes de um crime à integridade física.

“A arguido atentou contra a vida de quatro pessoas”, afirmou a procuradora, referindo que o militar António Ferreira só não “perdeu a vida por circunstâncias alheias à vontade do arguido”. “A vida que António Ferreira tinha antes, em função das lesões produzidas pelo disparo do arguido, nunca mais será a mesma.”

O Ministério Público destacou ainda o facto de as quatro vítimas serem “jovens”.”Gente com ambição, com arte e com engenho para conquistar o mundo”, afirmou a procuradora, acrescentando que foram “surpreendidas pelo arguido de forma brutal”. “Duas vítimas quando cumpriam a nobre missão de defender o seu semelhante e outros dois que queriam cumprir um sonho.”

“A morte do um ser humano é sempre uma tragédia, mas [aqui] é muito maior.”

O Ministério Público destacou ainda as razões “mesquinhas” que levaram o arguido a cometer os crimes. No caso dos dois militares, porque não queria que lhe fosse feita “uma revista pessoal” e que fosse “descoberta a arma” e no caso do casal Pinto porque precisava do carro.

1
1