www.jornaldenegocios.ptDani Rodrik - 14 fev 14:00

Pode o populismo económico prevenir o populismo político?

Pode o populismo económico prevenir o populismo político?

Os bancos centrais independentes desempenharam um papel muito importante no controlo da inflação nas décadas de 1980 e 1990. No entanto, no actual contexto de baixa inflação, o seu foco exclusivo na estabilidade dos preços incute uma tendência deflacionista à política económica e entra em conflito com a criação de emprego e crescimento.

Actualmente, esta "tecnocracia liberal" poderá estar no seu apogeu na União Europeia, onde as regras e regulações económicas são delineadas a uma distância considerável da deliberação democrática nacional. Esta divergência política (o chamado "défice democrático da UE") deu lugar ao aparecimento de partidos políticos populistas e eurocépticos em quase todos os Estados-membros.

Nestes casos, poderá ser desejável flexibilizar as restrições à política económica e devolver poder de decisão aos governos eleitos. Em tempos excepcionais é preciso liberdade para testar a política económica. A História oferece-nos um excelente exemplo com o New Deal de Franklin D. Roosevelt. Para levar a cabo as suas reformas, aquele presidente norte-americano teve de eliminar os condicionalismos económicos impostos por juízes conservadores e interesses financeiros no plano interno, e pelo padrão-ouro no plano externo.

Devemos estar sempre em guarda contra o populismo político, que é uma ameaça que devemos evitar a todo o custo, já que asfixia o pluralismo político e debilita as normas da democracia liberal. Mas o populismo económico pode, por vezes, ser necessário. Com efeito, nalguns casos pode ser a única forma de se antecipar ao populismo político, que é muito mais perigoso.

Dani Rodrik, professor de Economia Política Internacional na John F. Kennedy School of Government da Universidade de Harvard, é autor de Straight Talk on Trade: Ideas for a Sane World Economy.

Direitos de autor: Project Syndicate, 2018.
www.project-syndicate.org

Tradução: Carla Pedro

1
1