www.publico.ptopiniao@publico.pt - 14 fev 07:30

Crónica. A Máfia Lusa

Crónica. A Máfia Lusa

Os habitantes de Londres precisam desesperadamente do jeitinho e do brio dos trabalhadores portugueses. Perdoam-lhes tudo menos voltar de vez para Portugal.

Os portugueses em Londres podem ser poucos mas são unidos. Todos os portugueses pertencem automaticamente à Máfia Lusa, uma organização fraterna que protege os seus.

Graças a um António arranjei um quarto óptimo num bom hotel por um preço quase português. Ele não só me explicou como se fazia – paga-se adiantadamente com antecedência, para fixar as tarifas mais baixas – como me deu dicas valiosas para entrar em contacto com outros membros da Máfia Lusa.

No Fortnum’s tivemos a sorte de conhecer um dos grandes padrinhos da Máfia Lusa: chama-se Miguel, está cá há 12 anos e ainda não descobri uma única coisa que ele não saiba. Sabe tudo sobre gastronomia inglesa, vinhos e a boa vida. É uma daquelas pessoas generosas que partilha o que aprendeu ao longo dos anos. Graças a ele a nossa estada cá tem sido uma festa permanente.

Para organizar um dia de São Valentim em condições tive de recorrer ao Octopus – o Famoso polvo da Máfia Lusa que tem contactos em todo o tecido social britânico.

Graças à Sónia, cabecilha duma célula armada de barbeiros e cabeleireiros, pudemos pôr em prática um sofisticado plano de celebrações românticas que dependeu duma vasta rede de cordelinhos, favores, descontos de amigo, recomendações irrecusáveis e outras portuguesíssimas especialidades.

A Máfia Lusa pode operar descaradamente em Londres porque os habitantes precisam desesperadamente do jeitinho e do brio dos trabalhadores portugueses. Perdoam-lhes tudo menos voltar de vez para Portugal. Para a Máfia Lusa nem o Brexit existe.

1
1