expresso.sapo.ptexpresso.sapo.pt - 8 dez 10:00

À 15ª edição, o Prémio Primus Inter Pares quer descobrir (de novo) o próximo grande líder empresarial

À 15ª edição, o Prémio Primus Inter Pares quer descobrir (de novo) o próximo grande líder empresarial

Descobrir jovens talentos da Gestão é o objetivo deste prémio, uma iniciativa do Expresso e do Santander Totta. Candidaturas decorrem até dia 23 de fevereiro de 2013.

Já está a decorrer a 15ª edição do Prémio Primus Inter Pares (PPIP), um parceria entre o Expresso e o Banco Santander Totta, que promove a excelência da Gestão em Portugal. Lançado em 2003, este galardão pretende descobrir os jovens líderes empresariais.

Os candidatos podem inscrever-se através do site primusinterpares.universia.pt, onde também pode ser consultado o regulamento do prémio.

As inscrições decorrerm até ao próximo dia 23 de fevereiro de 2018. Para disputar esta competição, que premeia os três finalistas com MBA em escolas de negócios nacionais e estrangeiras, há que responder a uma série de requisitos: por exemplo, os candidatos terão de ter nacionalidade portuguesa, não ter completado os 26 anos de idade e frequentar o último ano do mestrado no âmbito de uma licenciatura em Gestão de Empresas, Economia ou Engenharia (sendo que o curso deve ter sido concluído com uma média igual ou superior a 14 valores).

Depois das candidaturas, seguir-se-á uma fase de testes técnicos e de entrevistas. Será a partir destes resultados que serão escolhidos os 24 semifinalistas, que passarão por uma fase de provas físicas e de equipa, durante um fim-de-semana. Aí, as suas competências de liderança, criatividade, espírito de equipa, capacidade de negociação e de comunicação, assim como de improviso, vão ser postas à prova.

A partir da observação das dinâmicas de grupo e das competências demonstradas, serão escolhidos os cinco finalistas. Estes serão avaliados por um júri composto por Francisco Pinto Balsemão, presidente do conselho de administração do grupo Impresa, António Vieira Monteiro, presidente executivo do Santander Totta, Estela Barbot, economista e gestora, António Vitorino, advogado, e Raquel Seabra, diretora no grupo Sogrape e vencedora da edição do Primus Inter Pares na sua segunda edição.

Em jogo estão três MBA (master in business administration), oferecidos ao trio de jovens que mais se destaque, tendo direito de preferência o primeiro classificado. Dois dos MBA terão de ser realizados em escolas de negócios portuguesas, mas um deles poderá ser feito no IE Business School de Madrid ou na IESE Business School de Barcelona. O “primeiro entre os seus pares” será conhecido numa cerimónia que terá lugar em meados de 2018.

Marta, a vencedora da edição passada

No ano passado, o grande vencedor da 14ª edição do PPIP também foi uma mulher. Marta Egídio Pereira, natural do Estoril, fez licenciatura na Nova School of Business and Economics e um mestrado em Gestão, também na Nova, contando ainda com uma passagem pela Universidade de Bocconi, em Milão. Aos 23 anos, trabalha atualmente na Microsoft, na área das redes sociais.

Em setembro, terminou um estágio de três meses em Berlim, na StoYo Media, uma empresa especializada na criação de conteúdos para os media sociais. E está à frente da revista online "Sonder Minds", que se apresenta como um "caleidoscópio" de textos e de autores - e que se integra no grupo português Sonder People, agência especializada no agenciamento de pessoas para anúncios publicitários um pouco por todo o mundo e para marcas como a Coca-Cola ou a H&M.

"A comunicação e a escrita apaixonam-me. É um enorme desafio conseguir chegar às pessoas através das palavras", explicou ao Expresso em julho, quando recebeu o galardão. É com as palavras que lida todos os dias, mostrando que um jovem gestor deve ser multifacetado. "Gosto muito de escrever. Escrevo quase diariamente", contou.

Além de uma carreira empresarial, Marta diz que pretende também seguir uma carreira académica. Ao mesmo tempo, quer ser mentora de jovens empreendedores, guiá-los, "dar--lhes know-how e força" e, se possível, ser ela própria investidora nessas startups. "Mas o meu grande objetivo de vida é continuar a aprender e a fazer coisas novas ao longo de toda a minha vida. Um líder tem de estar sempre a renovar-se", explicou na altura, ao Expresso.

Como vencedora do PIPP, Marta tem a oportunidade de fazer um MBA (Master in Business Administration) numa escola de negócios internacional (no IE de Madrid ou no IESE de Barcelona) ou em Portugal. Em princípio, e porque gosta de experiências internacionais, Madrid será o seu destino.

1
1