visao.sapo.ptvisao.sapo.pt - 7 dez 23:57

Em Matosinhos, a Festa da Poesia volta às ruas

Em Matosinhos, a Festa da Poesia volta às ruas

Esta sexta-feira, 8, a Festa da Poesia enche, uma vez mais, as ruas de Matosinhos com versos de fazer parar o trânsito. Com eles, vêm as habituais conversas e sessões de homenagem à palavra dita, na Biblioteca Florbela Espanca e no Teatro Constantino Nery
A selecção de versos da Festa da Poesia, em Matosinhos, assinala o centenário do "Ultimatum Futurista às Gerações Portuguesas do Século XX", de Almada Negreiros

A selecção de versos da Festa da Poesia, em Matosinhos, assinala o centenário do "Ultimatum Futurista às Gerações Portuguesas do Século XX", de Almada Negreiros

E se, de repente, no meio do caminho, enquanto se passeia por Matosinhos, encontrar pintada a frase “Coragem portugueses, só vos faltam as qualidades” ou “O povo completo será aquele que tiver reunido no seu máximo todas as qualidades e defeitos”? O atrevimento é do Ultimatum Futurista, de Almada Negreiros, a provocação é da Câmara de Matosinhos, que abre assim as portas de mais uma edição da Festa da Poesia, esta sexta-feira, 8. “De vez em quando convém trazer à memória algumas coisas e os versos de Almada parece que foram escritos ontem”, diz Fernando Rocha, vereador da Cultura da Câmara Municipal de Matosinhos, para quem esta iniciativa “deve ser uma provocação”.

Além de versos de Almada Negreiros, Álvaro de Campos, Filippo Marinetti, Oswaldo Andrade e Luis Montalvor a pintar a cidade, a Festa da Poesia inclui uma incursão pelo discurso poético, com as habituais conversas e sessões de celebração da palavra dita, um momento musical e, pela primeira vez, um espetáculo da Lisbon Poetry Orchestra. Trata-se de Poetas Portugueses de Agora, para ver no Teatro Municipal de Matosinhos-Constantino Nery com textos de uma nova geração de poetas portugueses, entre os quais figuram Valério Romão, Cláudia R. Sampaio, Paulo José Miranda e Daniel Jonas, nas vozes de André Gago, Nuno Miguel Guedes, Paula Cortes e Miguel Borges.

A seleção de versos pintados na rua que transformam Matosinhos numa cidade-poema assinala o centenário do Ultimatum Futurista às Gerações Portuguesas do século XX, de Almada Negreiros, publicado a 17 de Dezembro de 1917. O programa começa na Biblioteca Municipal Florbela Espanca, às 15 horas, com uma homenagem a Alberto, protagonizada pelo poeta e ensaísta Fernando Pinto do Amaral. Segue-se um diálogo poético construído por versos de amor e cumplicidade, com Isabel Rio Novo e Paulo M. Morais, e uma conversa com Rui Reininho. A terminar, a biblioteca recebe uma sessão de guitarra e voz, na qual Rui David canta poemas de Manuel Alegre e Leonard Cohen. Informal e descontraída, a festa “é um despertar para ouvir poesia”, sublinha Fernando Rocha.

Festa da Poesia > Biblioteca Municipal Florbela Espanca > R. Alfredo Cunha, 139, Matosinhos > T. 22 939 0950 > 8 dez, sex 15h > Teatro Municipal de Matosinhos Constantino Nery > Av. Serpa Pinto, 242, Matosinhos > T. 22 939 2320 > 8 dez, sex 21h30 > €5 a €7,50

Os passeios pela cidade em Matosinhos fazem-se agora na companhia de versos de poetas

Os passeios pela cidade em Matosinhos fazem-se agora na companhia de versos de poetas

1
1