observador.ptobservador.pt - 7 dez 16:27

22 fotos do “Portugal mágico” do melhor fotógrafo de viagens do mundo

22 fotos do “Portugal mágico” do melhor fotógrafo de viagens do mundo

Joel Santos, o melhor fotógrafo de viagens do mundo, juntou-se à fotojornalista Magali Tarouca e fez 3 mil quilómetros por Portugal. O resultado foi um livro de 232 páginas. E estas fotos.

Um ano depois de ter sido considerado o melhor fotógrafo de viagens de 2016, Joel Santos juntou-se à fotojornalista Magali Tarouca para mais um desafio: um livro com 232 páginas que mostre “um Portugal diferente, uma luz mágica”. Há oito anos que FOTO Portugal/ PHOTO Portugal ( estava na mente dos dois artistas, mas ambos tinham virado costas às paisagens portuguesas para explorar países tão longínquos e peculiares como a Indonésia, a China, Timor ou a Etiópia. Há três anos, tudo começou a acontecer “com empurrões” pelo caminho.

Joel Santos e Magali Tarouca com “FOTO Portugal/ PHOTO Portugal”, da editora Centro Atlântico. Custa 39,90 euros.

Em conversa com o Observador, Joel Santos admitiu sentir nos ombros a responsabilidade de fazer em Portugal um trabalho tão singular como aqueles que lhe valeram um dos mais importantes prémios do mundo da fotografia, o Travel Photographer of the Year: “Sou lisboeta e considero que nunca tinha feito um trabalho de jeito. Tendemos a ignorar mais o local onde nascemos. Mas também havia a responsabilidade de fazer alguma coisa bem feita”. Há três anos, as estrelas alinharam-se: Joel e Magali foram convidados pela Canon para participar num projeto onde recolhiam, em vídeo e em fotografia, dez histórias espalhadas pelo país. Entre uma história e outra, os dois encontraram as oportunidades de que precisavam para pôr mãos à obra. Doze dias sem dormir e três mil quilómetros mais tarde, chegou “um guia turístico” que “não é apenas um livro bonito, é também inspirador, útil e com uma abrangência única”, descrevem os autores.

Fazê-lo foi uma história de reviravoltas. Dos 10 primeiros locais que Joel e Magali combinaram combinaram percorrer, apenas o primeiro foi cumprido: “O projeto da Canon, que deu o primeiro passo nisto tudo, parecia o Big Brother porque era uma coisa tempo real. Já estávamos em Portalegre quando soubemos que o vento ia parar em Portas de Ródão, então voltámos tudo para trás para tentar apanhar a luz que queríamos”, contam ao Observador. Conseguiram, mas o que se seguiu foi uma luta contra o relógio: foram imediatamente para Torres Noves, onde tinham família, para enviar as fotografias, que seriam editadas na manhã seguinte. Às cinco e meia da manhã já tinham de estar em Monsanto para fotografar o nascer do sol.

O trabalho foi duro, mas bem dividido entre os dois: grande parte das fotografias foram tiradas por Joel Santos, enquanto Magali Tarouca “regressou às origens” e concentrou-se mais na pesquisa de informação que complementasse a imagem. O resultado é um mapa de Portugal em imagens para quem vem ao nosso país à procura dos melhores locais para fotografar, mas desconhece quais as melhores alturas do dia para o fazer, como os encontrar ou que histórias contam aqueles sítios.

Uma semana depois do lançamento do livro, a resposta do público está a ser “positiva”, contam os autores da obra: “Lançámo-lo no norte no dia do Porto-Benfica, que é uma coisa muito difícil de combater, mas fomos capazes. As sessões estavam completamente cheias. As pessoas compravam os livros não só para elas, mas também para oferecer, o que para nós é um grande elogio. Num dos locais de venda, os livros esgotaram todos”. Entretanto, pensar em repetir a experiência noutros países ainda é apenas um sonho: Joel gostava de fazer algo parecido na Indonésia, Magali preferia a China, “mas se em Portugal demorou este tempo todo, imagino nesses país”. De resto, embarcar para lá das fronteiras ainda não faz sentido: “Essa é a única frustração que temos. Dava-nos vontade de fazer ainda mais por cá”.

Na fotogaleria pode encontrar as 22 imagens favoritas de Joel Santos e Magali Tarouca. São, garantem, aquelas que mostram um país “que, não sendo muito grande, tem uma força de diversidade incrível. E muitos recantos”: “Encontrámos sítios que estão no nosso top 3. Os Açores, por exemplo, são um sítio ignorado pelo continente, mas é dos mais incríveis que conheço”. Veja as fotografias acima.

1
1