expresso.sapo.ptexpresso.sapo.pt - 15 nov 12:43

Professores unem centrais sindicais contra Governo

Professores unem centrais sindicais contra Governo

Um momento único, juntou Arménio Carlos, da CGTP e Carlos Silva, da UGT. No mesmo palco e frente ao Parlamento, sindicalistas exigiram ao Governo que “já amanhã” passe das palavras aos actos e resolva o problema da carreira dos professores

Carlos Silva abriu o seu discurso com palavras de Mário Soares: "Só é vencido quem desiste de lutar". Arménio, com o slogan: "O povo unido jamais será vencido". Ambos acertaram, pela primeira vez os discursos e os timings para exigir medidas ao Governo.

O motivo é o protesto dos professores que exigem o descongelamento total das carreiras. A praça frente ao parlamento encheu-se rapidamente de docentes que gritam "basta", "respeito" e "justiça". O tom remete para as manifestações que, em 2008, também num governo socialista, deu azo às maiores manifestações de protesto. As carreiras eram, na altura, o motivo principal. Hoje, o tema volta à ordem do dia.

"O momento não é para acentuar as diferenças, mas para afirmar as convergências", disse Arménio Carlos. O Governo tem de "passar das palavras aos atos, já amanhã", disse o líder da CGTP. "O país está a olhar para vocês", disse Carlos Silva dirigindo-se aos deputados e ao Governo.

1
1