rr.sapo.ptrr.sapo.pt - 15 nov 09:41

Zimbabué. "Portugueses devem ficar calmos e evitar agrupamentos" em Harare

Zimbabué. "Portugueses devem ficar calmos e evitar agrupamentos" em Harare

Militares desmentem que esteja em curso um golpe de Estado militar, garantindo que o Presidente está em segurança.

O Governo português enviou um email em que aconselha os portugueses que vivem em Harare, no Zimbabué, a manterem a calma e a terem cuidados redobrados devido à agitação que se vive no país.

Os serviços da embaixada portuguesa em Harare estão a enviar mensagens aos residentes portugueses, recomendando que devem evitar agrupamentos e o centro da cidade, segundo o texto que a Renascença teve acesso.

Contactado pela Renascença, o secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, confirmou que o governo está em contacto com os portugueses no país, não tendo, até ao momento, qualquer registo de "pedido de auxílio" de um português.

"Temos 500 portugueses [no Zimbabué] e cerca de outros 500 que são oriundos de outras regiões, embora com nacionalidade portuguesa. Ou seja, conjunto de mil portugueses inscritos nesta secção consular. É pela via telefónica e via 'whatsapp' ou e-mail que temos contactado”, informou.

Confirmando que o governo e os serviços consulares no país estão a dedicar atenção à situação no país desde o início do desenrolar dos acontecimentos, José Luís Carneiro avaliou a situação actual como "matéria circunscrita à elite política e militar” mas defendeu a necessidade de "acautelar que possa, de um momento para outro, haver desenvolvimentos que ponham em causa a segurança dos portugueses e das outras comunidades".

Esta crise surge após a destituição, na semana passada, do vice-presidente Emmerson Mnangagwa, que era apontado como sucessor de Robert Mugabe, tal como a primeira-dama Grace Mugabe.

Mnangagwa há muito considerado o delfim do Presidente, foi humilhado e demitido das suas funções e fugiu do país após um braço-de-ferro com a primeira-dama.

Militares negam golpe de Estado

O exército do desmentiu que esteja em curso um golpe de Estado militar, garantindo que o Presidente se encontra em segurança, após uma noite de agitação nas ruas.

“Estamos apenas a visar criminosos, em torno de Robert Mugabe, que cometem crimes que estão a causar sofrimento económico e social no país, de modo a levá-los à justiça”, afirmou o exército através dos media estatais.

O anúncio feito às primeiras horas desta quarta-feira tem lugar depois de uma noite de agitação na capital, com soldados armados e veículos militares nas ruas da capital e o registo de pelo menos três explosões.

[Notícia actualizada às 11h35 com declarações do secretário de Estado José Luís Carneiro]

1
1