observador.ptobservador.pt - 15 nov 02:36

Zimbabué. Presidente Mugabe e família detidos numa “transição de poder sem sangue”

Zimbabué. Presidente Mugabe e família detidos numa “transição de poder sem sangue”

Militares tomaram conta da televisão oficial de Robert Mugabe, que foi detido junto com a família. Mnangagwa, que tinha sido afastado na semana passada, assume presidência interina.

Foi uma madrugada agitada no Zimbabué. Depois de as forças militares terem ocupado a televisão estatal durante madrugada desta quarta-feira, o major-general zimbabuano Sibusiso Moyo leu um comunicado em direto a anunciar que o Presidente Robert Mugabe e a sua família se encontravam a salvo. Isto depois de o líder ter sido detido numa “transição [de poder] sem sangue”, reforçou, deixando claro que não se tratava “de um golpe de Estado militar”. O objetivo, explicou Moyo, é “atingir criminosos à volta do Presidente, que estão a cometer crimes que causam sofrimento social e económico” no país, de forma a levá-los “à justiça” — no entanto, não indicou a quem se referia.

A detenção de Mugabe e da sua família foi confirmada pelo partido no poder, o ZANU-PF. “Hoje começa uma nova era e o camarada Mnangagwa [vice-presidente demitido por Mugabe na semana passada e que estará a assumir a presidência neste período de transição] ajudar-nos-á a alcançar um Zimbabué melhor”. Ainda que o golpe de Estado seja negado pelas forças militares e pelo Zanu-PF, o correspondente da BBC Shimgai Nyoka diz que a situação no país reúne “todos os elementos de um golpe”.

Last night the first family was detained and are safe, both for the constitution and the sanity of the nation this was necessary. Neither Zimbabwe nor ZANU are owned by Mugabe and his wife. Today begins a fresh new era and comrade Mnangagwa will help us achieve a better Zimbabwe.

— ZANU PF (@zanu_pf) November 15, 2017

Têm sido horas de grande agitação nas ruas da capital do Zimbabué. “Não te armes em engraçadinho. Passa e pronto”, disseram soldados nas ruas de Harare, capital do Zimbabué, a um repórter da Reuters, na madrugada desta quarta-feira. A cidade estava cheia de soldados, que tomaram de assalto a televisão estatal, depois de o partido do Presidente Robert Mugabe, de 93 anos, ter acusado a chefia militar de traição e lançado boatos sobre um eventual golpe de Estado. Segundo aquela agência, na terça-feira, o general Constantino Chiwenga ameaçou intervir para acabar com uma purga dos seus aliados no partido do poder, o ZANU-PF.

Os soldados que invadiram a televisão oficial ZBC, um dos principais meios de comunicação do regime de Mugabe, deram ordens aos funcionários para sair e alguns foram tratados com violência, de acordo com o relato da Reuters. Pouco depois, ouviram-se três explosões no centro da capital.

A tensão escalou na semana passada depois de Mugabe, de 93 anos, ter despedido o seu vice-presidente e aliado de longa data, Emmerson Mnangagwa, de 75 anos, que tinha estreitas ligações com os militares.

Mnangagwa, há muito considerado o delfim do Presidente, foi humilhado e demitido das suas funções e fugiu do país após um braço-de-ferro com a primeira-dama, Grace Mugabe, figura controversa conhecida pelos seus ataques de cólera. A dirigente do braço feminino do partido do marido tem muitos opositores tanto no partido como no Governo.

O ZANU-PF garantiu que não houve golpe de Estado no Zimbabué, mas que seria feita uma “transição sem sangue” e que o vice-presidente demitido, o “Camarada Mnangagwa”, seria, “no interino”, o presidente. O partido assegura que Mugabe e a sua família se encontravam em segurança mas tinham sido detidos.

Zimbabwe has not had a coup. There has been a decision to intervene because our constitution had been undermined, in the interim Comrade E Mnagngawa will be president of ZANU PF as per the constitution of our revolutionary organisation.

— ZANU PF (@zanu_pf) November 15, 2017

There was no coup, only a bloodless transition which saw corrupt and crooked persons being arrested and an elderly man who had been taken advantage of by his wife being detained. The few bangs that were heard were from crooks who were resisting arrest, but they are now detained

— ZANU PF (@zanu_pf) November 15, 2017

As camadas jovens do partido ZANU-PF, a ZANU-PF Youth League, também afirmam que, “contrário a notícias internacionais”, não há golpe de Estado “nem uma crise”. O exército, dizem, está “simplesmente a efetuar um Projeto Nacional Democrático e está a fazê-lo com calma pacífica”.

Contrary to international reports, the gallant Zimbabwean Army has not staged a COUP. There is n COUP in Zimbabwe. Neither is there crisis.

The army is simply effecting a National Democratic Project and it's doing so with peaceful aplomb.

— ZANU PF YOUTH LEAGUE (@YLZANUPF1) November 15, 2017

Após ter tomado de assalto a televisão estatal, o exército também negou um golpe de Estado e garantiu a segurança de Mugabe e da sua família, não dizendo se tinham ou não sido detidos. Numa declaração lida por um general, o exército disse estar “apenas a fazer mira a criminosos à sua volta que estão a cometer crimes… que estão a causar sofrimento económico e social no país”.

Começaram já a circular imagens de militares nas ruas de Harare.

This is #Zimbabwe right now. A coup in all but name pic.twitter.com/9xPhpHJtYj

— Derek Momodu (@DelMody) November 15, 2017

More LIVE photos of military taking over Zimbabwe's capital Harare after Army Chief vowed to stop Mugabe purge! #ZimbabweCoup pic.twitter.com/uaAWMgBImJ

— Daniel Maithya ???????? (@DanielMaithyaKE) November 14, 2017

Além de Mugabe e da restante primeira família, também o ministro das Finanças, Ignatius Chombo, foi detido, disse uma fonte governamental à Reuters.

1
1