eco.pteco.pt - 15 nov 08:59

Investidores dão tréguas à Altice após tombo de 13%

Investidores dão tréguas à Altice após tombo de 13%

Altice perdeu 13% na última sessão, com dúvidas em relação à sustentabilidade da empresa. Mas investidores dão hoje tréguas à operadora. Ações recuperam quase 4%.

A Altice caiu no olho do furacão dos investidores nas últimas sessões, depois de ter apresentado resultados preocupantes na Europa. Esta tendência de queda agravou-se com o cenário de instabilidade na cúpula que gere a operadora dona da Meo, culminando no tombo de 13% na sessão desta terça-feira. Mas os investidores estão a dar agora tréguas a um título que caiu mais de 45% desde o reporte de contas.

Cotando-se na bolsa de Amesterdão, as ações da Altice estão a valorizar esta quarta-feira 3,62% para 9,22 euros. Corrige em alta depois de na sessão anterior ter sido violentamente castigada pelo mercado com uma queda superior a 13%, desempenho que foi ampliado por um volume de transações bastante acima da média diária.

O sell-off em torno desta multinacional começou logo após a prestação de contas ao mercado, tendo a Altice anunciado que os lucros iriam ficar no limite inferior do intervalo expectável.

“A violenta a reação do preço da ação aos resultados trimestrais da Altice, refletindo uma perda de confiança num turnaround sustentado na Europa, coloca a avaliação relativa, excluindo o negócio nos EUA, mais próxima dos pares europeus”, referem os analistas da Bloomberg. “A Altice precisa de ativos para fazer dourar o crescimento, embora a execução coloque dúvida no seu potencial”, acrescentaram.

Já depois da má impressão que deu ao mercado com o profit warning, a Altice voltou a entrar no radar dos investidores pelas más razões: rutura na administração. O CEO Michel Combes bateu com a porta na semana passada, em rota de colisão com os fundadores Patrick Drahi e Armando Pereira, os fundadores da companhia que detém a Meo em Portugal.

Estes sinais de instabilidade na cúpula a Altice deixam os investidores mais nervosos em relação à capacidade da gestão de fazer face à dívida de 50 mil milhões de euros. Foi através do recurso a capital alheio que o grupo francês financiou grande parte da sua expansão internacional, mas com o ciclo de juros baixos em fim de linha, há dúvidas acerca da sua sustentabilidade assim que os bancos centrais começarem a subir as taxas.

"A violenta a reação do preço da ação aos resultados trimestrais da Altice, refletindo uma perda de confiança num turnaround sustentado na Europa, coloca a avaliação relativa, excluindo o negócio nos EUA, mais próxima dos pares europeus.”

Analistas da Bloomberg

“A queda de 46% no preço da ação desde que anunciou resultados reflete este duplo golpe do seu modelo de negócio bastante alavancado e a perda de convicção no turnaround” na Europa, explicam os analistas da Bloomberg.

(Notícia atualizada às 9h17)

1
1