expresso.sapo.ptexpresso.sapo.pt - 13 out 18:37

Bolsas fecham ‘mistas’ na Europa

Bolsas fecham ‘mistas’ na Europa

Amesterdão e Zurique registaram ganhos esta sexta-feira, mas Londres, Madrid e Paris encerraram no vermelho. Frankfurt, Milão e Lisboa ficaram ligeiramente acima da linha de água. Crise catalã vive um compasso de espera até final do ultimato de Rajoy na próxima quinta-feira. Mercados aguardam resultados nas eleições na Áustria

As bolsas europeias fecharam ‘mistas’ esta sexta-feira. Entre as praças mais importantes, Amesterdão e Zurique registaram subidas de 0,62% e 0,15% respetivamente, mas Madrid e Paris viram os seus dois principais índices caírem 0,17% e, em Londres, o índice FTSE 100 recuou 0,28%. Várias bolsas fecharam ligeiramente acima da linha de água, como Milão, Frankfurt e Lisboa (onde o PSI 20 ganhou 0,02%).

As bolsas da zona euro revelaram nos últimos três dias uma enorme hesitação, segundo os índices MSCI. Na quarta-feira, com o compasso de espera dado pelo ultimato do Mariano Rajoy, presidente do governo espanhol, a Carles Puigdemont, presidente do governo regional, até dia 19, as bolsas da zona euro subiram 0,52%, mas no dia seguinte fecharam na linha de água, e hoje encerraram ‘mistas’.

Esta sexta-feira as quedas mais elevadas ocorreram nas bolsas de Bratislava, Nicósia e Copenhaga. As maiores subidas registaram-se em Atenas e Viena com subidas de 1,33% e 2,17% respetivamente.

A próxima semana continuará a ser marcada pelo desenrolar da crise catalã, com um dia chave a 19 de outubro, e pelos resultados das eleições legislativas deste domingo na Áustria. No quadro das tensões geopolíticas, os riscos globais poderão ser reanimados depois da decisão comunicada esta sexta-feira pelo presidente norte-americano Donald Trump de não "certificar" o cumprimento do acordo nuclear pelo Irão, ameaçando rejeitá-lo se o Congresso e os aliados dos EUA não aceitarem as suas propostas de estabelecer linhas vermelhas de monitorização do comportamento de Teerão.

No que respeita ao efeito da crise catalã, foi divulgado esta sexta-feira um primeiro balanço do Colegio de Registradores de España, que aponta para 531 empresas que mudaram a sua sede social desde 1 de outubro da Catalunha para outras paragens em Espanha, das quais 524 entre os dias 9 e 11. Mas o número será mais elevado mesmo até essa data, pois não incluía para dia 11 dados de Tarragona e Lérida. Em sentido contrário, 22 empresas mudaram a sede para a Catalunha. Aquele colégio agrupa os registos de propriedade, mercantis e de bens móveis, dependentes do Ministério da Justiça através da Direção Geral dos Registos e do Notariado.

1
1