rr.sapo.ptrr.sapo.pt - 13 out 16:05

Lembra-se da "Menina Afegã"? Vai estar no Porto

Lembra-se da "Menina Afegã"? Vai estar no Porto

A exposição de Steve McCurry começa no sábado, na Alfândega, e conta com mais de 200 fotografias.

Mais de 200 fotografias de Steve McCurry vão estar em exposição a partir de sábado, na Alfândega do Porto. Do Afeganistão à Índia, do Sudoeste Asiático a África, de Cuba aos Estados Unidos, esta vai ser uma viagem pela vida e obra do fotógrafo da National Geographic.

Para além dos seus trabalhos mais reconhecidos, vão estar ainda disponíveis trabalhos nunca antes publicados que foram produzidos a preto e branco na sua primeira reportagem no Afeganistão, entre 1979 e 1980.

O 11 de Setembro, fotografado a partir do seu escritório em Nova Iorque, a Guerra do Golfo, o conflito do Afeganistão, o Japão pós-tsunami, o drama das crianças-soldado, momentos marcantes da história dos nossos tempos que ficaram imortalizados na lente de Steve McCurry.

O americano ganhou alguns importantes prémios como a "Medalha de Ouro Robert Capa", o "National Press Photographers Award" e os inéditos quatro primeiros prémios no concurso "World Press Photo".

"The World of McCurry" já passou por Itália, onde foi visitada por mais de um milhão de pessoas. Depois disso já foi exibida em Bruxelas, Madrid e Barcelona. O projecto tem a curadoria de Biba Giacchetti e cenografia do arquitecto italiano Peter Botazzi.

As fotografias vão ser narradas pelo próprio Steve McCurry que conta o contexto da fotografia e as suas particularidades. Para além disto vão estar disponíveis filmes sobre a forma como o fotógrafo olha para a fotografia.

Estas foram alguns dos momentos que o fotógrafo congelou:

Ahmadi, Kuwait (1991) - A fotografia tirada no rescaldo da Guerra do Golfo mostra as chamas e uma coluna de fumo denso criados por petróleo a arder, no Kuwait. Esta fotografia demonstra bem os efeitos nefastos que a guerra teve para o ambiente e para a vida selvagem.

Kabul, Afeganistão (1992) - Tirar fotografias a mulheres não é tarefa fácil no Afeganistão - "pode ser muito perigoso" - a menos que sejam familiares, como explica McCurry na apresentação desta exposição. "Tinha visto estas mulheres uma manhã passeando no mercado em Kabul, a comprar sapatos numa banca. Achei a justaposição tão interessante que decidi que valia a pena o risco", conclui.

Rajastão, Índia (1983) - "Poderia na verdade ser a minha foto favorita", afirma o fotógrafo. É uma fotografia de um grupo de mulheres apanhadas por uma tempestade de areia repentina, durante a estação das monções. "Embora o meu primeiro instinto tenha sido proteger a minha câmara, apercebi-me logo de seguida que embora pudesse sempre comprar uma nova máquina, a oportunidade de apanhar aquele grupo de mulheres não se repetiria", explica Steve McCurry.

Herat, Afeganistão (1992) - 12 anos consecutivos. Foi o período que este bairro foi bombardeado pelas forças aéreas afegãs e soviéticas. McCurry viu pela primeira vez este cenário no Outono de 1992 e a dureza desta imagem fê-lo voltar ao local todos os dias, durante uma semana e fotografar várias vezes ao dia. Numa tarde, viu esta família que regressava e começava a construir a sua casa. "De uma simples fogueira havia de cozinhar o seu jantar e aquele momento assomou-se-me como o renascer da cidade de Herat, uma cena quase que metafísica".

Peshawar, Paquistão (1985) - A "Menina Afegã" é uma das fotografias mais icónicas da história. Foi tirada por McCurry num campo de refugiados na fronteira entre o Pasquistão e o Afeganistão. O retrato de Sharbat Gula, rapariga de 12 anos, foi publicada na capa da revista National Geographic. "Soube que seria um retrato importante. Vi-o na profundidade dos seus olhos. Eram olhos que traduziam a tristeza do povo afegão, as condições penosas a que estavam submetidos nestes campos de refugiados. Tive apenas uns breves segundos. Depois de um minuto ou dois fugiu a correr e desapareceu. Foi assim que tirei provavelmente a mais importante fotografia da minha vida”, conta o fotógrafo.

1
1