sol.sapo.ptsol.sapo.pt - 17 set 18:05

S&P. Subida do 'rating' era 'crucial'

S&P. Subida do 'rating' era 'crucial'

Cinco anos e meio depois de Portugal ver a descida de rating para o nível de “lixo”, o país assiste a uma inversão. A Standard & Poor’s (S&P) decidiu subir o rating para BBB-, o primeiro nível acima de “lixo”.

Para Mário Centeno, ministro das Finanças, o cenário não podia ser melhor. “É uma excelente notícia para Portugal, para as empresas, para todo o setor empresarial e produtivo em Portugal e para as famílias, com certeza. Isto significa uma redução muito significativa dos custos de financiamento de toda a economia portuguesa”, explica o responsável pela pasta das Finanças.

No entender do ministro, a subida do rating pode ser explicada com o facto de estarem a ser cumpridos todos os compromissos do governo português no setor financeiro e orçamental.

"Todos nós sabemos que as condições da política monetária na Europa estão a alterar-se, o período já muito longo de taxas muito baixas pode nos próximos meses (num ano, ano e meio) vir a alterar-se. E era absolutamente crucial para a economia portuguesa que a sua dívida entrasse neste clube mais restrito de dívidas que são consideradas de investimento, porque é essa a melhor garantia que nós temos para a estabilidade do processo orçamental e financeiro português no futuro", salientou Mário Centeno.

No entanto, a par das boas notícias, surgem também alguns avisos. Da Europa, por exemplo, vem o recado de que é para manter o rumo de consolidação das contas públicas. Tanto o Mecanismo Europeu de Estabilidade como a Comissão Europeia deram os parabéns a Portugal, mas deixaram nota de que é necessário continuar a reduzir o défice e a dívida.

Também António Costa fez saber que há um caminho que tem de continuar a ser feito. “Esta notação permite-nos obviamente melhores condições de financiamento”, afirma, acrescentando que o intuito final é a redução do défice e da dívida.

Recorde-se que, desde 2012, que agência atribuía à dívida portuguesa um rating BB+, a nota mais elevada de não investimento.

1
1