www.jn.ptjn.pt - 17 set 18:41

▶ Vídeo: Morte de mulher em congelador de hotel envolta em mistério

▶ Vídeo: Morte de mulher em congelador de hotel envolta em mistério

O caso da morte da jovem norte-americana Kenneka Jenkins, no último fim de semana, dentro do congelador de um hotel em Chicago, está despertar fortes emoções na opinião pública norte-americana, pelos contornos misteriosos do caso.

Na madrugada de sábado, dia 9 de setembro, Jenkins estava numa festa no hotel Crowe Plaza Chicago O'Hare com alguns amigos, quando desapareceu. Foi vista pela última vez cerca das 1.30 horas - numa altura em que também mandou uma mensagem à irmã - e, já na madrugada de domingo, encontrada morta dentro de um congelador da cozinha do hotel. Mas o que se passou entre esses dois momentos ainda não foi foi totalmente esclarecido.

Na Internet, foram criados grupos de discussão para debater os contornos do caso e analisar várias imagens gravadas naquele período de tempo, mas também rumores e informações falsas. No Facebook, circula um vídeo que alegadamente mostra Kenneka com os amigos e a pedir ajuda, o que dá fôlego à teoria de homicídio, que a polícia contradiz, com recurso a imagens de videovigilância.

Há ainda imagens de telemóvel da jovem a divertir-se com amigos num quarto do 9.º andar da unidade, que estão a ser analisadas no âmbito da investigação policial.

Segundo as autoridades, que divulgaram imagens de videovigilância, as câmaras de segurança do hotel mostram a jovem de 19 anos a cambalear na cozinha do hotel, mas não a entrada na câmara frigorífica. Para a polícia, a Kenneka estaria alcoolizada e entrou por engano no congelador, onde morreu, não existindo, para já, qualquer indício de crime.

Mas a família não se conforma com a explicação e lamenta a inação das autoridades e do hotel, que não reagiram com rapidez suficiente quando foram informados de que os amigos tinham perdido o rasto a Kenneka Jenkins.

Às 4.30 horas de sábado, os amigos ligaram à mãe a dizer não sabiam onde Jenkins estava e, às 5 horas, os funcionários do hotel recusaram analisar as imagens de videovigilância, já que tal só poderia ser feito depois de comunicado o desaparecimento às autoridades. De imediato, a mãe falou com o Departamento de Polícia de Rosemont, que a aconselhou a esperar.

Oficialmente, a polícia tomou conhecimento do caso às 13.15 de sábado e começou a fazer buscas nas áreas públicas do hotel e no nono andar, onde o grupo estava.

Depois de ter visto as imagens de videovigilância, a polícia não encontrou rasto da rapariga, mas, pressionados pela família, os agentes voltaram a ver os vídeos e acabaram por encontrar imagens de Jenkins embriagada junto à receção. À 1 hora de domingo, o corpo foi encontrado dentro do congelador, que tinha portas metálicas duplas.

A família pede agora o envolvimento do FBI na investigação à morte, para se saber por que razão a jovem estava naquela zona do hotel e se alguém a terá atraído ou empurrado para o local onde morreu, onde não existem câmaras de vigilância.

1
1