www.jn.ptMiguel Conde Coutinho* - 16 set 00:03

#votodebigode

#votodebigode

Anda por aí muita gente nervosa porque a Liga de futebol marcou um Sporting-F.C. Porto para o dia das autárquicas. É uma situação ideal? Provavelmente não. Mas também é incompreensível que esteja a ser ponderada nova lei para proibir jogos de futebol em dia de eleições. Primeiro, porque o desporto, e o futebol profissional em particular, é uma atividade privada e tenho sérias dúvidas que não seja inconstitucional proibi-la. E, depois, porque votar não é obrigatório. É apenas um dever cívico, cujo exercício é dependente da vontade de cada um. Nada garante que, caso não haja futebol, a abstenção diminua. Ou vice-versa.

E porquê o futebol? Porque não proibir que as pessoas possam ir correr, jogar basquetebol ou ir caminhar pelo parque? Porque não mandar fechar os cinemas, os teatros ou as salas de jogos? Porque não proibir tudo o que nos possa distrair de ir votar, essa complexa missão só alcance dos mais determinados e cerebrais ascetas? Eu digo porquê: porque é estúpido e paternalista.

Há, na superior franja da população, quem ache que o português normal é um ignorante de bigode que precisa de ajuda para distinguir um cachecol do clube de um brinde de campanha. Mas que fiquem descansados: os portugueses e as portuguesas já são crescidos. E ao domingo é dia de aparar o bigode, pelo que vamos ficar mais leves e mais capazes, se quisermos, de ir lá colocar a cruz no candidato que escolhemos.

* JORNALISTA

1
1