www.cmjornal.ptMiguel Alexandre Ganhão - 14 ago 01:30

O problema das viagens à China

O problema das viagens à China

Maioria dos ministros não definiu qualquer diretiva ao abrigo do código de conduta do Governo.
Viajar a convite de uma empresa, em especial se se ocupar um cargo governamental, está a tornar-se perigoso. Depois de aceitarem um convite da Galp para assistirem a alguns jogos do Euro 2016, em França, três secretários de Estado do governo de António Costa pediram a demissão.

Na semana que passou foi a vez de Nuno de Almeida Barreto, adjunto do secretário de Estado das Comunidades, exonerado por aceitar um convite da empresa de telecomunicações chinesa Huawei, em clara violação do artigo 8º do Código de Conduta do Governo que entrou em vigor em 2016.

Mas não foi o único. Existem vários dirigentes superiores da Administração Pública que já viajaram a convite da mesma empresa e também para a China. Só que muitos o fizeram antes do famigerado Código de Conduta ter entrado em vigor.

O ‘Correio Indiscreto’ sabe que, por exemplo, vários elementos dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) viajaram a convite da Huawei para a China em 2015, visitando uma fábrica daquela empresa e diversas instalações hospitalares. Na altura não existia nenhum Código de Conduta e a deslocação não mereceu reparos.

Mas não é apenas no setor da Saúde que as viagens acontecem, também na Economia e nos Transportes existiram deslocações a convite de empresas chinesas. Se queremos levantar o véu, temos de pedir a todos os responsáveis governamentais que definam ‘preto no branco’ o que se pode e não se pode fazer!

Quanto custa receber as estrelas da economia internacional
O Banco de Portugal gosta de receber bem. Acolheu em Sintra o Fórum Anual do Banco Central Europeu (BCE), reunindo vários responsáveis dos mais importantes reguladores do setor financeiro do Mundo. O ‘catering’ durante dois dias custou 14 mil euros.

Também em Sintra organizou a 7ª Conferência do Sistema Financeiro - durante três dias arrendou o hotel Ceaser Park na Penha Longa, mais 22 700 euros; e, finalmente, organizou a 9ª Conferência de Política Monetária, onde alojou os convidados no hotel da Vista Alegre em Ílhavo, Aveiro, pagando cerca de 31 mil euros.

PURO VENENO
Filho de Vieira contesta fisco
A empresa Inland - Promoção Imobiliária SA, liderada por Tiago Vieira (filho do presidente do Benfica), contestou uma execução fiscal superior a 650 mil euros por parte da Autoridade Tributária no passado dia 10 de agosto.

A Madeira mostra-se generosa
O governo liderado por Miguel Albuquerque terá pagado cerca de 300 mil euros a uma das principais agências de comunicação do Continente... e isto só até junho deste ano.

Gonçalo Reis em guerra com a ACT
A Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) avançou com, pelo menos, oito processos contra a RTP, no sentido de obrigar a empresa a integrar os jornalistas com contratos precários.

Marcelo poupou um milhão
A Presidência da República poupou, até ao passado mês de junho, um milhão de euros nas suas despesas. Marcelo quer dar o exemplo, mas o governo não lhe fica atrás. Todos os ministérios estão "a apertar o cinto".

Vieira de Almeida até no espaço
O escritório de Vasco Vieira de Almeida assinou um contrato com a Fundação para a Ciência e Tecnologia no valor de 74 mil euros para assessorar aquele organismo na área da regulamentação aeroespacial. Um dos mais poderosos advogados conquista o espaço.
1
1